Segunda, 30 Março 2020 21:42

COMBATE CONTRA AFTOSA, MAS SEM AGLOMERAÇÃO

Avalie este item
(1 Votar)
Por Neto Figueredo

A campanha de vacinação contra a febre aftosa começa nesta quarta-feira, 1º de abril, e segue até o dia 30. Este ano, o evento de lançamento foi suspenso para evitar a aglomeração de pessoas, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde e de autoridades da área para evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

Além disso, a Aderr (Agência de Defesa Agropecuária de Roraima) vai reforçar orientações junto aos produtores e às casas agropecuárias, que vendem as doses da vacina, quanto às normas para comercialização. Aqueles que estão no grupo de risco podem mandar outra pessoa comprar a vacina, mas com os dados do proprietário do estabelecimento rural em mãos.

Já para aqueles que por ventura não tenham ninguém para mandar fazer a compra por eles, as lojas podem viabilizar horários diferenciados ou disponibilizar o serviço de drive-thru (quando o cliente faz o pedido por telefone ou de forma online e busca o produto no estabelecimento).

O presidente da Aderr, Gelb Platão, explicou que a defesa agropecuária está na lista de atividades essenciais listadas na Portaria 116 do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), que garante funcionamento do setor agropecuário para evitar o desabastecimento.

“A campanha vai transcorrer normalmente, como nos anos anteriores, durante todo o mês de abril. Lógico que devido à situação excepcional que vivemos, esse prazo pode ser prorrogado, caso a gente não consiga atingir a meta no prazo estipulado”, disse.

Na campanha do ano passado, 97,8% das 870 mil cabeças de gado de Roraima foram vacinadas, média acima do que o Mapa recomenda. “Este ano,o nosso rebanho está em 890 mil cabeças. Esperamos alcançar ou ultrapassar o percentual do ano passado, mas temos consciência de que será um trabalho árduo devido à atual situação que vivemos”, explicou Platão.

O presidente reforçou ainda que, apesar do momento excepcional, algumas normas continuam vigentes e não serão flexibilizadas como, por exemplo, a comercialização do animal vivo. Durante o período da campanha, com exceção para o abate imediato, se o animal for vendido para engorda ou qualquer outra atividade, além da GTA (Guia de Transporte Animal), também será necessário comprovar a vacinação do rebanho, tanto da origem, como do destino.

 “Isso é norma desde sempre.Queremos que o produtor entenda que não haverá flexibilização desta regra neste período de crise em que vivemos. O que poderemos fazer devido a toda essa situação é apenas prorrogar os prazos para vacinação e notificação, se necessário”, adiantou.

 AGULHA OFICIAL – Uma das etapas da campanha de vacinação é a Agulha Oficial, que é a vacinação, por parte do Governo do Estado, no rebanho presente em áreas indígenas. Esta fase começa no dia 1º de maio e segue até o dia 15. Neste período de pandemia, a Funai (Fundação Nacional do Índio) limitou o acesso às áreas indígenas. Como a vacinação do rebanho é garantida por decreto federal, a Aderr aguarda autorização do órgão para que, no período certo, as equipes possam entrar nas reservas da Raposa Serra do Sol e São Marcos.

 NOTIFICAÇÃO –O produtor tem até o dia 15 de maio para fazer a notificação de vacinação junto à Aderr. Para isso, basta apresentar as notas fiscais da vacina e os dados do rebanho, que inclui sexo e idade dos animais.

 “Muitos pensam que o prazo para notificação é de apenas 15 dias, uma vez que a campanha encerra no dia 30 de abril, porém, na verdade eles têm 45 dias para isso, pois desde o primeiro dia de campanha, conforme for vacinando o rebanho, ele já pode fazer a notificação”, explicou o presidente da Aderr.

 Sigaderr facilita emissão de GTA e declaração de vacinação

Neste momento de pandemia do novo coronavírus, a principal recomendação é evitar aglomerações. Para os produtores rurais que precisam emitir GTA ou declarar a vacinação do rebanho, a Aderr disponibiliza o Sigaderr (Sistema de Gerenciamento Agropecuário do Estado de Roraima), ferramenta que permite ao produtor solicitar esses documentos e acessar alguns serviços de forma online.

Para utilizar o sistema, o produtor deve ter inscrição estadual junto à Sefaz (Secretaria de Fazenda). Atualmente, dos 8,5 mil produtores rurais que trabalham com rebanho bovino, apenas 2,9 mil são cadastrados. Aqueles que desejam aderir ao sistema devem procurar a Aderr para fazer o cadastro de forma presencial, devido à necessidade de apresentação de documentos.

“Estes que já são cadastrados podem solicitar e imprimir a GTA e fazer a declaração de vacinação do rebanho no conforto da casa deles,evitando deslocamentos e aglomerações neste período delicado”, pontuou Platão