Quinta, 23 Maio 2019 09:10

RR DECEPCIONANDO NA VOTAÇÃO

Avalie este item
(0 votos)

REDAÇÃO AgênciaNorte

www.aosdamoridas.com.br

Por Marlen Lima

O Brasil passa por um período de total recuperação em, primeiro, acabar com as velhas práticas políticas, espúrias, porém, o Governo Bolsonaro tem encontrado deslealdade até mesmo por parte de políticos de seu partido, ainda que não tenha sido o caso nesta votação desta quarta, 22, quando o Plenário da Câmara dos Deputados votou a Medida Provisória 870, a tal famosa MP 870, que mantém a redução do números de ministérios, e outro ponto primordial que era para que o Coaf - Conselho de Controle de Atividades Financeiras - fosse mantido no Ministério da Justiça, aos olhos diretos do ministro Sérgio Moro.

Porém, os deputados ligados ao tal Centrão - que comunga partidos que se mostram reticentes em mudar, e deixar para trás as tais velhas politicagens', foi que mais votou pela manutenção da diminuição de Ministérios, mas, por outro lado, trairagem, votou para que o Coaf ficasse mesmo no Ministério da Economia.

Uma votação até apertada, por 228 votos a 210 e mais 4 abstenções a MP 870 foi votada.

E quando se ressalta a 'bandalheira' de certos deputados, que estão votando contra o governo Bolsonaro, simplesmente porque não estão tendo o que querem, ou seja, eles querem mesmo é manter o velho 'toma lá dá cá' da politicagem.

Lastimável!

Então, a decepção foi que os parlamentares de Roraima, dos oito deputados federais, sete votaram a MP 870, e destes três - Haroldo Cathedral (PSD), Nicolleti (PSL) e Shéridan (PSDB) - votaram pela transferência do Coaf para o Ministério da Justiça - onde já estava. O restante, os deputados Édio Lopes (PR), Jhonatam de Jesus (PRB), Joênia Wapichana (REDE) e Otaci Nascimento (Solidariedade) votaram pela permanência do Coaf no Ministério da Economia.

Único que não votou foi o deputado Hiran Gonçalves (Progressistas), porque está em missão oficial fora do país.

Ainda que o Coaf esteja dentro do Governo, e nas mãos de um ministro mais forte, Paulo Guedes, quem deveria ficar cuidado do Coaf era Moro, para dar mais reforço nas investigações contra a corrupção, especialmente contra políticos. E quem sabe foi por isto que teve deputado que preferiu que isto fique longe dos olhos daquele que foi um dos capitães da 'Lava Jato'.

SERÁ QUE TANTO FAZ?

Haroldo da Cathedral diz que tanto faz o ministério. "Para mim, particularmente, não faz diferença nenhuma, porque eu não tenho do que me preocupar se vai para a Economia ou se ficaria na Justiça", disse o deputado.

Agora, e o que dizer os deputados que votaram contra Moro??!!

Logo Roraima que deveria demonstrar total apoio ao presidente Bolsonaro, que tanto tem afirmado e mostrado apreço pelo Estado, tem cumrpido suas promessas em dar ao povo roraimense a primazia, que tanto nos tem faltado pelo governo federal - mas, Édio Lopes, Jhonatam de Jesus, Joênia Wapichana e Otaci Nascimento decidiram virar às costas, e quem só sofre com ações desleais como estas é o povo!

A deputada Wapichana votar contra Moro até se entende, mas, um cara tão mais experiente politicamente como Édio, é lastimável.

Otaci nem dá para dizer muito porque o que esperar dele já que é novato e será que sabe mesmo o que tá fazendo?!

Agora, pior é o Jhonatan de Jesus, que está como Líder do PRB, agora com uma força expressiva de política nacional, porém, o jovem deputado mostra fraqueza em não se impor pelo bem do Norte, da AmaZônia, porque quando ele não privilegia o seu Estado, ele cospe não só em Roraima, mas, em todos os demais estados nortistas...

Creio que Eduardo Bolsonaro, deputado federal filho do presidente da República, que um dia, lá atrás, elogiou a postura de Jhonatan, deve estar, assim como o povo roraimense, decepcionado!!!

P.S

Detalhe que destes deputados uma boa parte quer sugar o Governo Denarium, se diz aliado e tal, mas, na hora de mostrar a 'cara', como diz o cabôco, 'peida na farofa'...Foi o que certos deputados fizeram nesta votação da MP 870...