Quarta, 22 Maio 2019 11:07

GUIANA E RORAIMA ESTREITANDO LAÇOS

Avalie este item
(0 votos)

Embaixadores da Guiana e Brasil visitam Roraima e discutem melhorias para os dois países...Governador de Roraima Antonio Denarium recebeu o embaixador do Brasil na Guiana, Lineu de Paula, e o embaixador da Guiana no Brasil, George Wilfred Talbot

Por BRUNA ALVES e ISAQUE NASCIMENTO

O governador Antonio Denarium recebeu o embaixador do Brasil na Guiana, Lineu de Paula, e o embaixador da Guiana no Brasil, George Wilfred Talbot, que estiveram em Roraima nesta terça-feira, 21, a fim de levantar pontos importantes que trarão melhorias para as duas nações.

Para Denarium, a presença dos dois embaixadores no Estado ao mesmo tempo é um momento histórico para Roraima.

“Estamos tratando do relacionamento comercial, turístico e industrial entre os países. Dessa forma, com um único propósito, estaremos integrando essas duas nações que são muito importantes para o desenvolvimento da América do Sul”, disse.

George Wilfred Talbot, embaixador da Guiana no Brasil, pontuou que a relação entre os dois países é muito importante.

“Isso porque o Brasil é o país que tem a maior fronteira com a Guiana, por isso discutimos a questão da pavimentação da estrada que liga o Brasil à Guiana para possibilitar o comércio e outros negócios entre outros países”, acrescentou.

Há cinco anos como embaixador do Brasil na Guiana, Lineu de Paula garantiu que estão acompanhando de perto todos os assuntos e entraves entre os dois países.

“A questão da estrada, do uso dos hospitais públicos dos dois lados devido à fronteira e o interesse em usar o porto de Georgetown para exportação de produtos de Roraima como milho e soja são assuntos que discutimos para que possamos resolver de uma vez por todas”, completou Lineu.

21.05 visita embaixadores 2

Estrada

Entre as pautas abordadas com a Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) está o fortalecimento do setor produtivo com a utilização da rodovia Lethem-Linden como uma alternativa para o escoamento da produção agrícola, que após chegar ao porto, tem caminho facilitado para outras localidades, como o Canal do Panamá.

Talbot ressaltou que é prioridade nacional a pavimentação da rodovia Linden-Lethem. Além de ser uma alternativa para o escoamento da produção agrícola, a rodovia também vai interligar o país de um extremo ao outro. “Já começaram as obras de engenharia na parte norte, em Linden. Esta etapa está programada para finalizar até dezembro. Isso vai facilitar muito uma colaboração permanente com benefícios para os dois lados”, disse.

O embaixador também ressaltou que as terras da Guiana podem complementar as terras de Roraima. Segundo ele, já existem investidores de Roraima que estão ampliando as possibilidades de produção. “Alguns produtores do lado brasileiro já investem em terras do nosso lado. Podemos trabalhar para fortalecer essa parceria também”, declarou Talbot.

Também no âmbito do agronegócio, o governo guianense está construindo em Lethem uma zona industrial para o processamento de alimentos. “Acho que está pode ser outra frente de cooperação entre Roraima e Guiana, podendo atender tanto os nossos produtores quanto os brasileiros também”, afirmou o embaixador.

O titular da Seapa, Emerson Baú, afirmou que dentro da questão de produção, um dos principais gargalos é a questão logística. “O asfaltamento da estrada de Lethem a Georgetown vai fazer com que ganhemos uma rota que vai nos diferenciar em termos de produção. Com essa rodovia nós podemos ganhar o mundo, gerando emprego e renda em Roraima”, disse.

 

MOSCA DA CARAMBOLA

Outra prioridade também é o combate à mosca da carambola, praga que assola alguns municípios de Roraima e também presente no país vizinho, impedindo o fortalecimento e desenvolvimento da fruticultura.

“Essa é uma ação emergencial, o combate à mosca, que é uma das principais dificuldades que temos para o fortalecimento da fruticultura no Estado. Nós temos as barreiras, elas funcionam, só que sempre de maneira defensiva. Queremos fazer um acordo de cooperação com a Guiana, partir para ofensiva e em uma missão conjunta trabalharmos dentro do território guianense para impedir a entrada destas moscas”, disse o titular da Seapa.

Para Talbot, a ajuda do Governo de Roraima nesse sentido é fundamental. “Já contamos com o apoio de Roraima, por meio de um termo de cooperação, para o combate à mosca anteriormente. Precisamos manter o controle dessa praga para que ela não afete o Brasil e nem a Guiana”, pontuou.

...

Fotos: Ederson Brito e Neto Figueredo