Sexta, 03 Maio 2019 14:00

SENADOR ACERTA NO COBRANÇA, MAS...

Avalie este item
(0 votos)

REDAÇÃO AgênciaNorte

www.agnorte.com.br

Por Marlen Lima

Aqui temos um vídeo (abaixo) onde o senador Mecias de Jesus de forma serena expõe na Comissão do Senado os entraves, e as mazelas que o povo roraimense passa por conta da forte migração venezuelana, que impõe ao Estado uma fatura pesada onde áreas da saúde, educação tem sido penalizada, em especial ao próprio povo de Roraima.

A cobrança que o senador faz é para que o governo Federal tenha mais celeridade nos programas de ajuda ao Estado, ou seja, que recursos também cheguem com mais rapidez em sua liberação para tais áreas estruturais de Roraima possam ser atendias, 'assim como na 'operação Acolhida', destaca Mecias.

Mas, o senador peca num quesito de sua fala quando destaca que Roraima tem uma dívida de mais de 6 bilhões de reais, e que a ajuda humanitária também deveria ir ao encontro do povo roraimense. É bom que se lembre que a Operação Acolhida tem servido ao Estado há tempos,ainda no meio do mandato da governadora Suely Campos, que foi afastada de sua administração por um decreto federal, em dezembro passado...E ela foi justamente tirada do cargo porque os desvios de recursos federais foram descobertos, e isto, sim, é o peso de que ajuda de recursos foi, porém, o Estado que não teve gerência ética e transparência nos gastos.

Mais.

O PRB de Mecias de Jesus estava entre os partidos de sustentação a este malfadado Governo Suely. Que pese que o partido não governava, mas, havia um peso forte politicamente. 

O governo Bolsonaro não pode ser culpado em procurar dirimir o problema hoje que é a migração, comprovadamente excessiva, quando este povo venezuelano está morrendo de fome no seu país, e precisa ser acolhido no Brasil, é preciso que a este povo se dê dignidade neste acolhimento, porque não queira que nós brasileiros nos tornemos como estes refugiados.

Mecias acerta na forma da  cobrança, mas, peca assim como o filho ao estabelecer que o roraimense passa pelas mesmas agruras que o povo venezuelano passa...

Mídia