Terça, 12 Março 2019 01:33

GERANDO RENDA E ABASTECENDO MERENDA

Avalie este item
(0 votos)

Por Emanuele Pasqualotto

Os investimentos feitos pela Prefeitura de Boa Vista no agronegócio estão rendendo bons frutos, principalmente para as comunidades indígenas. Ganham os agricultores e as crianças, que estão recebendo reforços na merenda escolar com o que é produzido com o auxílio da Secretaria Municipal de Agricultura e Assuntos Indígenas (Smaai).

Prova disso é o projeto HF (Hortifruti), desenvolvido em oito comunidades indígenas, localizadas na área rural de Boa Vista. Uma delas é a Vista Alegre. O projeto consiste em transmitir as técnicas de condução das culturas de melancia, melão, abóbora, feijão, macaxeira, dentre outras, e proporcionar o aumento da produtividade.

O Hortifruti é o primeiro projeto a ofertar a tecnologia da fertirrigação para lavouras em comunidades indígenas no Estado de Roraima. E os resultados positivos já começam a aparecer. A lavoura de melão da comunidade já está sendo produzida.

Só nesta safra, já foram seis toneladas da fruta, na qual uma parte foi destinada para a comunidade e o excedente está reforçando a merenda das crianças de quatro escolas municipais das Comunidades Vista Alegre, Darôra, Ilha e Campo Alegre por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). 

 

De acordo com o agricultor indígena Dinarte Pereira da Silva, responsável pelo projeto na Comunidade Vista Alegre, os resultados melhoraram muito a renda da comunidade e a alimentação tendo em vista a qualidade da fruta colhida.

“A prefeitura entrou com a parceria com a comunidade trazendo o projeto HF para cá. Eu me prontifiquei a trabalhar nessa lavoura e estamos colhendo seis toneladas de melão, é um produto que produz bem aqui na comunidade e eu estou muito satisfeito com o apoio da Prefeitura, só tenho a agradecer, pois se não fossem eles não estaríamos produzindo”, disse.

 

O técnico Agrícola da Secretaria de Agricultura, Ariosto Brito, acompanha o projeto desde o começo e enfatizou que a meta é no futuro fazer com que os agricultores indígenas possam melhorar ainda mais as lavouras e a renda da comunidade de forma independente.

“O objetivo é despertar nos produtores das áreas indígenas e ensinar que fazendo direitinho, irrigado e com a tecnologia, é possível alcançar bons resultados como aqui na comunidade Vista Alegre com o plantio do melão. Além disso, uma parte da produção é destinada para a comunidade e o excedente é entregue para as escolas municipais através do PAA. Está todo mundo contente e vem dando certo”, destacou.