Segunda, 04 Março 2019 10:36

NÃO TEM TRABALHO, TEM QUE SER DISPENSADO

Avalie este item
(0 votos)

Governo de Estado esclarece demissões de funcionários na Codesaima...Oitenta e oito funcionários contratados em regime da CLT foram desligados da empresa de forma legal e com todos os direitos trabalhistas garantidos

REDAÇÃO AgênciaNorte

www.agnorte.com.br

Dentro do que se tem esperado do Governo Denarium, e já dito pelo próprio governador, que o combate contra o excesso ocorrerá, e nisto passa pelo enxugamento da máqui na pública. claro que não será só a Codesaima (Companhia de Desenvolvimento de Roraima) que teve corte de pessoal, com 88 pessoas desligadas. Mais cortes virão porque não cabe o inchaço de servidores, que veio do Governo Suely Campos.

A Codesaima explica que com uma dívida, cerca de R$ 170 milhões, foi a razão da demissão desses 88 funcionários, que estavam há três meses sem atividade profissional. O governo destaca que tudo é devido ao cumprimento à decisão da Justiça Trabalhista, e que todos os direitos serão garantidos.

Esses funcionários atuavam no Matadouro e Frigorífico Industrial de Roraima, que se encontra interditado e em processo de leilão, determinado pela Justiça. Já que possui uma dívida acumulada de R$ 5 milhões, só em energia elétrica.

Os funcionários da Companhia, mesmo os que fizeram concurso público trabalham em regime da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) - lei que rege os contratos de empregados da iniciativa privada.PRESIDENTE CODESAIMA 6

“Os funcionários fizeram concurso, mas não se tratava de um concurso de estatutário. Eles têm todos os direitos garantidos na CLT, mas não têm a estabilidade de estatutário”, explicou o presidente da Codesaima, Anastase Papoortzis, que destaca que há recusa dos funcionários, “eu me reuni com todos os funcionários demitidos, expliquei a situação e os comuniquei de forma verbal. Eles se recusaram em assinar as demissões, então vamos fazer o depósito judicialmente. Todos os direitos serão pagos”, enfatizou.

MAFIR

O Matadouro e Frigorífico Industrial de Roraima foi colocado a leilão no mês de novembro e dezembro de 2018, para ao pagamento de uma dívida com a Eletrobrás, mas nas duas ocasiões não houve interessado na compra e está fechado por determinação da Justiça do Trabalho e aguarda a conclusão do processo na Justiça.

...

Com Secom Gov de RR

Foto: Elinaldo Santos