Quarta, 21 Novembro 2018 12:16

DENARIUM DIZ QUE NÃO TEM 'MOEDA DE TROCA', MAS TEM, SIM!

Avalie este item
(0 votos)

REDAÇÃO AgênciaNorte

www.agnorte.com.br

Por Marlen Lima

Não se duvida que o futuro governador de Roraima, Antônio Denarium esteja empenhado, ao máximo, quando em Brasília (DF) busca apoio unânime da bancada federal para votações no Congresso Nacional, no caso a votação sobre a questão previdenciária, onde o governo atual quer votar, mas, não se sente seguro para ter de fato uma vitória, o que é o desejo do futuro Governo Bolsonaro.

Claro que Denarium, apesar de nunca ter tido mandato, conhece bem os políticos, e o jeito de politicar. E em conversa aberta à imprensa Denarium até afirma que não há 'moeda de troca' quando se vai a Brasília pedir apoio para projetos que vão ao encontro dos anseios de Roraima, bem como mais recursos, tão necessários após desastrosa gestão do atual Governo Suely Campos.

Mas, moeda de troca existe, é uma só, claro! Sabe-se que tem que ter o peso político do governador em sua bancada para que o governo federal atenda as mais emergentes demandas de cada Estado, e Roraima precisa hoje emergencialmente de recursos que nos assegurem o pagamento em dia dos salários dos servidores, por exemplo; mais, temos que ter a real garantia da energia segura pondo fim as oscilações devastadoras que sofremos - Capital e Interior, e isto pode vir com o Linhão que só falta ligar Roraima.

Diante disto, o governador eleito peca quando diz que não hé moeda de troca, quando se sabe que é dando que se recebe, e o que o povo de Roraima precisa é que de fato o futuro Governo Bolsonaro nos atenda a estas tão urgentes necessidades, tendo em troca a fidelidade dos votos conscientes doque é melhor para o País.

Da reforma da Previdência, DEnarium reconhece que esta deve ser mais abrangente, "tem que atingir o funcionalismo público, o governo federal, as Forças Armadas, não adianta colocar só o servidor da iniciativa privada, tem que ser uma reforma da Previdência mais abrangente e onde todos possam contribuir também”.

Do encontro com o futuro presidente, bem como o entendimento da bancada federal do Estado, temas mais exaustivos foram colcoados em pauta, “onde debatemos principalmente essa integração federativa e os principais entraves ambientais que dificultam o crescimento da nossa economia. É enorme a dificuldade que se tem hoje para conseguir uma licença ambiental no Brasil e isso precisa ser revisto para ser mais simplificado como é feito em outros países do mundo. O presidente da República tem a consciência que o Brasil tem que crescer também através do setor primário e a produção de alimentos da mesma forma que nós pensamos em Roraima também crescer, por meio do setor primário”, disse Denarium.