Sexta, 15 Abril 2022 09:49

Pacaraima de perto ainda mais feia

Avalie este item
(0 votos)

DEP. RENATO QUEIROZ TESTEMUNHA SITUAÇÃO DE ABANDONO EM PACARAIMA

O JOVEM EX VEREADOR RENATO QUEIROZ, QUE DECIDIU ALÇAR VOOS MAIS AGUERRIDOS NA POLÍTICA DAMORIDA, eis que retorna ao cenário federal reassumindo a suplência do deputado federal licenciado HAroldo da Cathedral, que está em campanha pelo filho Zé Haroldo, que estava à frente do Iper.

Antes de tomar o gabinete na Câmara Federal, Renato Queiroz esteve em Pacaraima e pôde ver de perto o caos e o certo abandono que vive aquela população em decorrência da desenfreada migração venezuelana.

"Estou completamente abismado com o que testemunhei. O município de Pacaraima que até onde sabia era parte do territórios brasileiro, foi de fato entregue a Venezuela. O posto de controle da polícia federal, que deveria fazer uma criteriosa avaliação sobre quem e o que entra em nosso País, está completamente desativado, reduzido a um ponto de controle da ADERR que mesmo promovendo um relevante serviço, não é nem de longe uma fração do do real problema a ser enfrentado".

ABERTA

Renato constatou que a entrada no País é livre e descontrolada. Carros, motos e pessoas transitam para dentro e pra fora à vontade, tendo como opcional na hora da entrada, uma visita as tímidas e em sua avaliação "ineficientes" estruturas de recepção da operação Acolhida.



"A acolhida teve um papel no início de tudo isso, quando apenas o desespero norteava as ações possíveis. Não evoluiu com o tempo dentro do próprio conceito, hoje serve apenas como uma propaganda mal feita do Governo Federal que se aproveita do resultado do trabalho de diversas ONGS que com recursos e investimentos internacionais, tem feito um grande, silêncio e eficiente trabalho de suporte que combate a ampliação dos efeitos da problemática".

VOLTANDO COM MAIS FORÇA

Renato pontua que com o aparente fim da pandemia de Covid 19, a migração volta a ser o maior problema a ser enfrentado pelas autoridades de Roraima e faz um importante alerta.

"Com a guerra entre Rússia e Ucrânia figurando no cenário internacional como o mais novo enorme problema a ser enfrentado pela humanidade, a prioridade emergência das ONGs, que hoje atuam em Roraima sobre a questão migratória muda. A grande maioria está com seus contratos por vencer nos próximos meses e com sua iminente saída, teremos um cenário de caos ampliado pois a verdadeira ineficiência prática da operação acolhida será exposta, e quem sofrerá as consequências será o povo de Roraima juntamente com a população migrante".

LEVAR AOS PODERES

Renato colheu os dados oficiais em reunião com diversos secretários da Prefeitura local e buscará soluções de curto prazo com o Governo Estadual em emergências ligadas principalmente as pastas da saúde, educação e segurança, assim como atuará de forma mais ampla no problema dentro do cenário nacional, utilizando-se inclusive do poder judiciário para forçar algumas atitudes que há muito tempo já deveriam ter sido implantadas.

"A narrativa de que Brasília não sabe o que acontece em Pacaraima, cansou faz tempo. Precisamos que assumam de vez a responsabilidade pelo seu papel inconseqüente nem que tenhamos que acionar o STF para garantir isso. Pacaraima precisa ser não só reconhecida mas tratada como Brasil".

 

 

Assessoria