Terça, 22 Fevereiro 2022 08:55

CASSAÇÃO DE JALSER VAI FINALIZANDO

Avalie este item
(0 votos)

QUEBRA DE DECORO...Relatório sobre processo de cassação de Jalser Renier será votado nesta terça-feira pela Comissão de Ética

SUSPENSA DESDE O ANO PASSADO, A OITIVA DE TESTEMUNHAS DE JALSER RENIER, ENFIM, ACONTECEU NESTA SEGUNDA, 21, E O QUE SE DECIDIU PELA Subcomissão de Ética Parlamentar da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) é que esta fase de instrução do processo de cassação do ex presidente da Casa foi finalizada.

A cassação do mandato de Jalser continua, e neste terça, 22, o relator deste processo, o deputado Jorge Everton apresentará o seu relatório, em reunião da Comissão de Ética.

Foram ouvidos o secretário de Segurança Pública de Roraima, coronel Edison Prola, o delegado de Polícia Civil Herbert Amorim, a superintendente de Gestão de Pessoas da ALE-RR, Geórgia Briglia, convocados pelo relator da subcomissão, e o ex-segurança de Renier, quando estava na presidência, o policial militar Hélio Pinheiro, única testemunha do parlamentar, que compareceu à oitiva.

SILÊNCIO E DIREITOS

Preferindo o silêncio, ou não tinha o que defender, o advogado de Jalser decidiu não se pronunciar, se dizendo cerceado. “O cerceamento de defesa, por falta de tempo hábil para contatar as testemunhas”.

Mas, Jorge Everton deixou claro, na sessão do Conselho de Ética, que ocorreu em transmissão via online, pelas redes sociais da ALERR, e pela TV ALERR,que o ex presidente, o deputado Jalser Renier foi notificado em 25 de novembro de 2021, e teve tempo hábil para ter suas testemunhas, porém, o parlamentar que já foi preso, e hoje está com sua liberdade restingida, ainda que viva em sua mansão, quis enganar a subcomissão de ética da ALERR, com uma lkstagem de dezenas e dezenas de testemunhas.

“Foi respeitado o número de sessões necessárias para a defesa preliminar. Ele apresentou defesa escrita, arrolou testemunhas e esta subcomissão está seguindo de forma legal e constitucional”, afirmou Jorge Everton.

LINKS ABERTOS

Um link para ouvir as testemunhas de forma virtual foi providenciado. “Todas as ferramentas, todos os instrumentos necessários foram dados para garantir a ampla defesa e contraditório”, ressaltou.

Jorge Everton afirmou que a subcomissão conduziu os trabalhos de forma técnica, profissional e legal, baseada no entendimento do STF (Supremo Tribunal Federal), na Constituição e no Regimento Interno da ALE-RR.

“Fizemos toda a instrução e estou pronto para amanhã, às 14h, apresentar meu relatório à Comissão de Ética”, completou.

O deputado Jalser Renier foi notificado para que tenha ciência de que o relatório da subcomissão será deliberado pelos membros da Comissão de Ética Parlamentar. E, caso queira, poderá se manifestar perante a comissão. O documento será publicado no Diário Oficial da Assembleia Legislativa de Roraima.

Bem que tentou

Já nos finalmente da sessão da Subcomissão de Ética Parlamentar, numa tentativa de ainda 'esticar' esta parte de oitivas, a amiga do deputado Jalser, a deputada Lenir Rodrigue apresentou requerimento para que fosse convocado o delegado de Polícia Civil João Luiz Evangelista, responsável pela investigação do caso Romano dos Anjos; e dos promotores Isaias Montanari Junior e André Nova, responsáveis pela denúncia do Ministério Público de Roraima (MPRR).

Mas, tanto o relator como o revisor da subcomissão de ética, deputado Evangelista Siqueira rejeitaram tal requerimento.

“O relator já tem o aparato necessário para dar prosseguimento à construção do relatório final”, disse Siqueira.

 

 

 

...

Com SupCom/ ALE-RR

Foto: Nonato Sousa/ Tiago Orihuela