Quarta, 09 Fevereiro 2022 08:27

CASCAVEL PRESO, ABUSO SEXUAL, NÃO É O PRIMEIRO…

Avalie este item
(1 Votar)

NÃO É DE AGORA QUE A VIDA DE AIRTON ’CASCAVEL’ SOLIGO É CAPA DE JORNAL, PIOR, CAPA DE DE NOTÍCIA NEGATIVA, NOTÍCIA PESADA, SÓ QUE antes era sempre tudo muito no universo da politica. Política esta feita não só em Roraima, mas, também em certos casos suspeitos de corrupção no Amazonas, e no Governo Federal. Porém, agora, o empresário, que sempre atuou com afinco em várias áreas, Cascavel enfrenta o seu pior pesadelo porque preso, desde ontem, 8, em Boa Vista, é acusado de estupro de uma jovem. Detalhe, este é mais um processo de acusação de estupro só que o anterior que ele responde é familiar.

A prisão de Cascavel foi feita por agentes policiais de Santa Catarina. 

Cascavel é um homem rico, e com certas vaidades, afastado há décadas da política com mandato, onde foi deputado estadual, deputado federal, vice governador, e cargos diretos no executivo estadual e federal, até sonhava, desde o ano passado, voltar ao cenário eleitoral, e com desejos altos, de governar.

Mas, já em 2021 Cascavel começou a enfrentar acusações de atos suspeitos de abuso de poder à frente do Ministério da Saúde, quando foi um dos braços fortes do, então, ministro Eduardo Pazuello. Também quando foi secretário de Saúde do Governo Denarium, que não ficou por ali muito tempo, justamente, segundo fontes, porque já, ali, suspeitas de outras acusações contra jovens pairavam.

Segundo o portal G1, o crime de Cascavel teria acontecido em Joinville, no Norte catarinense. Conforme as investigações da polícia, o abuso sexual teria sido praticado na casa da mãe do investigado, na cidade de Santa Catarina. A vítima seria uma jovem que trabalhava cuidando da proprietária da residência. O inquérito policial ainda está em andamento.

DENTRO DE CASA

Airton CAscavel é réu em um processo por suspeita de estuprar uma criança da própria família.

Ao aceitar a mais esta denúncia do Ministério Público, em setembro de 2021, o juiz responsável pelo caso imputou ao empresário as acusações de estupro contra vulnerável, com o aumento da pena em razão do acusado ser parente da vítima.

A denúncia contra Cascavel foi feita a partir de uma ligação realizada pelo telefone 181.

Após a investigação, a Polícia Civil pediu a prisão preventiva do empresário. O disque denúncia 181 permite fazer denúncias anônimas.

PESADELO 

Politicamente este caso, mais um de estupro na vida de Airton Cascavel acaba que pesa para os governos por onde ele passou. Isto porque fica diretamente associado a amizade do empresário com o governador Antonio Denarium, que na época em que chamou Soligo para ser secretário de Saúde, ano passado, em coletiva com à imprensa afirmou que ali estava um amigo seu.

O povo não vai deixar de ver este tipo de gente, que ao lado de Denarium tem sido constante em seu governo.

MAIOR RATO DA POLÍTICA 

O caso mais extremo de ter um político com farto arsenal de escândalos políticos e criminal é o deputado Jalser Renier. Que enquanto esteve com seu amigo Denarium mandou e desmandou.

Jalser, que fez de todo crime que é acusado enquanto presidente da Assembleia Legislativa de Roraima, se colocou como o maior ‘amigo’ de Denarium, e o governador o tinha como fiel e principal escudeiro de seu governo. 

Mais.

Hoje, o Chefe da Casa Civil de Denarium é outro condenado em corrupção, um ex governador politicamente inexpressivo, Flamarion Portela, que mais ‘queima’ o governo do que ajuda.

À frente da própria Saúdo do Estado, Denarium teve, entre os seus 10 ex secretários, muitos ali, que sofrem processos por abuso de poder, corrupção, entre outros.
 
 
FAMÍLIA GULOSA
 
Na linha de frente da sala política do governador Denarium está nada menos que o senador guloso Mecias de Jesus, que com sua família, tem ‘mandado’ no governo, tendo as Secretarias de Estado mais importantes - Sefaz, Seplan, CAER, entre outras muitas diretorias. 
 
Mecias, que há pouco tempo virou manchete policial, com o famoso Caso dos Gafanhotos, responde por acusações de corrupção. 
 
 
Agora, para um ano eleitoral onde Denarium não consegue subir nas pesquisas, senão tendo ‘amigos’ que lhe ‘compram’. Pesquisas favoráveis a ele, a justiça eleitoral está em cima, e o povo idem.