Imprimir esta página
Quarta, 06 Outubro 2021 15:10

O PRIMEIRO DE MUITOS QUE VIRÃO

Avalie este item
(1 Votar)

Escritor Edgar Borges lança “Incertezas no meio do mundo”, seu primeiro livro de poemas

REDAÇÃO AgNORTE

ELE É JOVEM (MAIS OU MENOS) E CABELUDO! SIM, ELE TEM SEUS PENSAMENTOS PRÓPRIOS, E DENTRO DE SI UM REVOLUCIONÁRIO, mas, um ser revolucionante que vem com as letras poetizar, expor o que a alma grita, mais que isto, Edgar Borges, jornalista, sociológo, escritor, venezuelano (nascido) e brasileiro (macuxi de coração), que foi um dos primeiros blogueiros - com o seu www.edgarb.blogspot.com, e hoje também se define como um fazedor de cultura -, sim, sem dúvida ele consegue ser tudo isto, e ainda ser pai amoroso, presente, dedicado, casado, e muito bem casado (eterno amante), profissional de 'mão cheia' onde redações de jornais lutariam por sua verve, porém, é aqui, no cyberespaço, nas redes sociais, entre poesias e muita muita cultura que ele é a sua melhor síntese.

Ufa...Após tudo isto, o que mais pode dizer deste jornalista, poeta?

Ah! Sim, Edgar lança nesta quinta-feira, 7, o seu primeiro livro de poemas, e certamente é o primeiro de muitos que virão, afinal, o rapaz não para, jamais se limitou.

O livro - “Incertezas no meio do mundo”, segundo o autor é uma obra formada por poesias, que abordam diversos aspectos do ser e estar na Amazônia urbana e contemporânea.  

E acompanhando, sempre, as nuances do tempo, da era, “Incertezas no meio do mundo” terá o seu lançamento feito numa live no canal de YouTube, claro, do próprio autor - https://www.youtube.com/edgarborges - agende porque será às 19h - a live começa e contará com a participação de colaboradores, que viveram ativamente o processo de confecção do material, bem como da maior das estrelas que circundam o coração, mente, vida do autor, a poetisa Zanny Adairalba, sua esposa, mãe de seu único filho - o lindo e cabeludo, também. Foi ela que coordenou todo o processo de produção editorial da obra, e contou com a ajuda de Elimacuxi, prefaciadora do livro.

Em tempos pandêmicos que ainda vivemos, Edgar revela que haverá, sim, um lançamento presencial com direito a local com fila e pessoas esperando o seu autógrafo. Isto será marcado posteriormente, segundo o autor, quando os índices de vacinação no Estado estiverem mais avançados. Logo não demorará!

Bem como a poesia assim nos invade, “‘Incertezas no meio do mundo’ é um livro escrito no escuro para trazer luz a situações, que segundo o autor, lhe incomodavam, ou "que me incomodavam e ainda, em muitos casos, continuam incomodando. É o fruto dos meus olhares sobre diversas questões individuais e coletivas de nossa contemporaneidade”, afirma o poeta.

Sempre ativo dentro e fora de casa, Edgar além de todo aquele apetrecho de apresentação, escrito acima, é também integrante do grupo Coletivo Caimbé, responsável por ações culturais no segmento do livro, leitura e literatura.

SEM RODEIOS...

A poeta Elimacuxi afirma, em um trecho do prefácio: “Com uma poesia sem rodeios, Edgar não tem pena de seu leitor e joga-lhe na cara verdades incômodas, que surgem assim que se faz a ‘Decolagem’ e as ‘ideias começam a voar’...", declara, aí já percebível, uma entre muitas apaixonadas pelo autor e suas obras.

Elimacuxi é historiadora e poeta, e declara que se comoveu, "comoveu-me a descrição do ‘museu fechado para reformas’, já que a consciência da própria historicidade nos leva à identificação com esse lugar de acúmulo de coisas do passado que, no presente precisa constantemente se repensar para seguir em frente”, explica, ou tenta, a poeta.

Com 96 páginas, 'Incertezas no meio do mundo' é o terceiro livro de Edgar, que já lançou outros dois, sendo que de contos: 'Roraima Blues' e 'Sem Grandes Delongas'. 

A obra foi realizada com recursos provenientes do edital 07/2017 de incentivo e fomento à literatura, uma ação do Governo do Estado de Roraima, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult).

"O lançamento deste livro é a conclusão de uma jornada iniciada há alguns anos. A obra deveria ter sido publicada em 2017, quando foi selecionada no edital da Secult, mas, a governadora da época não pagou. Este ano, depois de várias reuniões entre o governo e os autores, o repasse foi realizado pela atual gestão estadual", explica Edgar, que assimc omo muitos artistas sofreu, mais ontem do que hoje, dos desmandos financeiros, irresponsabilidades de governantes que não respeitam sua sociedade - mas, para o bem de todos, por fim, eis que sua obra, mais uma, agora será lançada.

COMO ADQUIRIR

Edgar Borges diz que a obra, inicialmente, estará à venda via PIX, pela chave 95991114001 (cel), no valor de R$ 30,00, com entrega grátis, em Boa Vista.

Pessoas de outras cidades do País terão acesso ao livro por R$ 35,00, incluindo o frete.

Após o pagamento, os leitores devem enviar o comprovante para o whatsapp 095.991114001 - com o endereço de entrega.

 

SERVIÇO:

O que: Lançamento do livro de poemas Incertezas no meio do mundo, de Edgar Borges.

Quando: 7 de outubro, quinta-feira, às 19h.

Onde: no perfil de Youtube https://www.youtube.com/edgarborges

Leia alguns trechos dos poemas de Incertezas No Meio Do Mundo:

Museu em reformas

Coleciono coisas inúteis:

Máquinas com fotos de pessoas que não quero conhecer

Livros com poemas carregados de tristeza e arrogância

Que não me levam à cama nem me engolem na sobremesa

(...)

Sadismo metafórico

Queima, sangra, rasga

Incomodando o fim da tarde

 

Morde, corta, arranca

Fazendo do todo somente partes

 

Marca, tatua, sinaliza

Gritando por onde passou

(...)

Como o cheiro do suor ao meio-dia

De todas as mentiras

Naquela tarde escorridas

A terceira é a mais atrativa:

É nela que repousam a fé e

As dores mais antigas, mais coloridas

(...)

Numa semana qualquer

Normalidade são velhos ipês roxeando ao

Calor de fevereiro

E cada poça de suas flores nas ruas

Parecendo um caneco de arco-íris

(...)

Breve orientação

Quando faltem seis dias

Pule neste pescoço e arranque

(Fazendo-me gozar, por favor, por favor, por favor)

A jugular

(...)

Canto de raiva

Se você soubesse a raiva que tenho

A raiva que te tenho cada vez que te tenho

E mais ainda cada vez que você vai

E não sei se já estou aqui ou ainda venho

 ...

REDAÇÃO AGN - RR/AM/DF

Para mim não é nenhuma surpresa poder ver o sucesso, sempre foi contínuo, deste latino hermano, que chegou, sempre cabeludo, em BV, e logo de cara nas redações de jornais por onde passava deixava sua indeléval marca de um profissional apurado, dedicado, e de linhas cheias de poesias, sim!

Textos com o 'feijão com arroz' que todo jornal precisa, e gosta, ainda mais o leitor.

Edgar sempre foi (é) um estudioso, e pôde oferecer mais a quem lia, e mais ainda para que aprendia, como na Universidade - Ufrr, quando por vezes ali esteve ensinando, dando um pouco de si para outros futuros, quem sabe, também prodigiosos jornalistas...

Tenho a honra de tê-lo como amigo, mesmo de longe, mas, de coração unido, sabemos que há amor entre nós, claro, com divergências, ainda bem, sempre existam - Edgar, O Borges, como cham, é o que seria o meu mais doce lado 'esquerdinha'! Mas, jamais faltou e faltará o carinho e o respeito!

E, aqui, feliz em ver que mais um pedaço deste 'puta' profisional, (por favor) sem cotonações sexuais, mas, sim, de extremo elogio por sua capacidade, eloquência, nem tanto, uns diriam, mas, o arrebate é de todos próximos, chegados, alunos, ex, amigos, colegas e afins...

Parabéns, meu amigo! Coração por você e sua linda família, sempre!

 

Marlen Lima - Editor

Aqui, um jornalista, também blogueiro, mas, certamente, não tão esforçado e inteligente, que até um dia já escreveu o que achou ser poemas, mas, claro, sem a devida coragem 'edgariana', até hoje os rascunhos esãto bem guardados em pasta, dentro de alguma profunda gaveta... 

...