Segunda, 04 Outubro 2021 21:32

PRISÃO MANTIDA, OK! E A CASSAÇÃO?

Avalie este item
(0 votos)

UM DIA MEMORÁVEL PARA O PARLAMENTO QUANDO OS DEPUTADOS DECIDEM CORTAR NA PRÓPRIA CARNE, e o fazem porque assim a Justiça determina, afinal com enxurrada de provas, todos os fatos comprobatórios apresentados pela Polícia, e na contudência das acusações do Ministério Público, Jalser Renier foi preso, novamente, e desta vez permanecerá na prisão, isto porque hoje, 4, foi sacramentado por 17 votos, em Plenário, após relatório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o 'sim' pela manutenção do pedido da Justiça em manter o ex presidente preso.

Uma vitória, a primeira, do povo de Roraima, porque dos 17 deputados presentes, todos votaram pela prisão de Jalser.

Melhor fala.

Talvez a melhor síntese da data de hoje veio da fala do deputado Jorge Everton, quando afirmou que não é porque se tem imunidade parlamentar, que se pode cometer os mais bárbaros crimes, atos mais espúrios, como um dos piores, o do sequestro e tortura.

E assim foi o que se averigou pela Justiça, neste primeiro momento contra Jalser, que é acusado de ser o mandante, o comandante de uma quadrilha que assaltou o cofre do parlamento estadual, perseguindo pessoas, e em determinado ato culminou no sequestro do jornalista Romano dos Anjos, que outubro do ano passado quase morreu pela ação nefasta de policiais militares a serviço do presidente da Assembléia Legislativa, presidida por Jalser.

 

- "Que fique resgistrado que o mandato não lhe dá uma carta de alforria para cometer crimes...", destaca o deputado, que já foi delegado, e sabe bem os trâmites investigativos, e Jorge Everton afirmou que disse na cara de Jalser, que uma vez comprovado as acusações, ele votaria pela prisão do ex presidente.

Mais.

Segundo Jorge Everton, o mandato é para atuar em prol do povo e da sociedade, "que através do mandato nós devemos ter direito a nossa proteção de perseguições políticas e ideológicas, mas, não nos dá o direito de cometer atrocidades, é um crime repugnante!", disse o deputado.

O relator do processo, deputado Chagas, que num passado, como vice presidente da Casa que foi na era de Jalser, teve a chance de ter afastado o Ratuno, que foi preso.

Porém, vivemos, lá atrás, (bem como agora) mais um momento vergonhoso para Roraima, quando um deputado presidia de dia, e de noite dormia na cadeia.

E diante deste caso escabroso, lastimável, é que Chagas poderia ter afastado Jalser da Presidência, e, dali, a Comissão de Ética agir pela cassação do Rato.

Mas, como muitos deputados disseram na época, Chagas se acorvadou...Porém, hoje, não!

De forma firme e num relatório conciso, precisamente dentro das regras legais, constitucionais, decidiu manter Jalser na prisão, e seu voto de sim, foi acompanhado por mais 16 deputados.

E agora?

Agora, após o passo de manter o maior ratuno da política preso, espera-se que a Comissão de Ética, que é presidida por Chagas receba o pedido de cassação do mandato de Jalser, e de uma vez por todas este câncer político seja extirpado do parlamento, e da vida política. 

A Comissão de Ética precisa ser provocada.

Existe a possibilidade, também, do próprio Corregedor da ALERR, deputado Nilton do Sindipol fazer este pedido de cassação do mandato de Jalser.

O povo quer isto, e o que mais a sociedade roraimense quer é poder ver Jalser sendo condenado, pagando pelos seus crimes, e que ele seja o primeiro de muitos outros que ali no parlamento ainda estão, mas, merecem o mesmo caminho, a cadeia.

Pela fala da deputada Aurelina, que em muitos momentos destacou o sentimento do povo em relação aos deputados, ou à Casa parlamentar, onde ela reconhece que ali tem bandido, sim, ou que pelo menos é assim que o povo vê cada deputado.

Esperemos para ver, a queda total do maior corrupto, e se com ele mais outros virão...A hora da transformação é agora!