Sexta, 29 Maio 2020 15:25

BRASIL PLANEJA ATRAI BILHÕES NOS PRÓXIMOS ANOS

Avalie este item
(1 Votar)

Por BNDES

Durante uma live no canal do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no Youtube, o presidente do órgão, Gustavo Montezano, e o ministro da Infraestrutura (MInfra), Tarcísio Gomes de Freitas, falaram sobre a parceria entre BNDES e MInfra na estruturação de projetos para desestatização em transportes.

O foco do governo está voltado para ações de combate à pandemia do novo coronavírus, sem deixar de pensar no longo prazo, segundo Montezano. “A agenda de investimentos é muito importante para a retomada, e os projetos de infraestrutura, fundamentais para isso, devem ser bem estruturados, bem modelados”, afirmou.

De acordo com o diretor do BNDES, Fábio Abrahão, atrair investidores que não operam no Brasil e ter diversidade de participantes é uma meta: “Isso fortalece a relação com o consumidor final, seja ele pessoa física ou a empresa que utiliza os portos e as rodovias. Um mercado saudável é um mercado com diversidade”.

Atualmente, o BNDES possui uma carteira de aproximadamente R$ 190 bilhões de investimentos em estruturação de projetos, com participação relevante de ações em parceria com o Ministério.  

O exemplo mais recente nesse sentido foi a assinatura de contrato para realizar estudos técnicos de estruturação de concessões para mais de sete mil quiômetros de rodovias em 13 estados brasileiros, assinado entre o Banco e o MInfra, no último dia 19.

“Nossa expectativa com o contrato recém-assinado é crescer em mais de 70% a malha rodoviária federal concedida”, disse o secretário-executivo do Ministério, Marcelo Sampaio, que também participou da live. Ele lembrou ainda que, nesse edital, foram simplificados os atestados de qualificação técnica, “o que atrai maior número de players e permite diversificar o número de operadores dos ativos”, avaliou.

Investidores estrangeiros

O ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, informou que a meta é atrair R$ 250 bilhões de investimentos privados nos próximos anos. Ele ressaltou que a  robustez do portifólio brasileiro chama atenção dos investidores. “Temos um programa sofisticado, com ativos de muita qualidade. Ninguém gasta energia para vir aqui olhar um projeto. Devem ser projetos diversificados, de tamanhos diferentes, para apetites diferentes e diferentes tamanhos de bolso”.

Segundo o ministro Tarcísio, a julgar pela receptividade dos investidores nos roadshows que têm sido realizados pelo Minfra, é grande o interesse nos projetos. “Começamos a perceber o interesse de grupos estrangeiros que não estão colocados ainda no Brasil e que já começam a se aprofundar nos estudos e virão participar dos leilões. Começaremos a perceber isso em agosto, quando vamos fazer os leilões dos dois terminais de celulose em Santos”.

Para o ministro Tarcísio, a conjugação desses fatores aponta para o sucesso do programa de concessões em curso. “Temos boas modelagens, portifólio, vamos oferecer boas taxas de retorno e temos o crédito. Ou seja: temos todas as condições para trazer o investidor em infraestrutura e atacar um problema central da nossa economia, que é a questão de produtividade”, avaliou.