Quarta, 01 Junho 2022 10:22

Inovação Sustentável com EMBRAPII, MEC e BNDES

Avalie este item
(0 votos)

EMBRAPII, MEC e BNDES investem no desenvolvimento de inovação sustentável no Norte do Brasil…Grupos de pesquisas da região vão receber recursos para inovar em áreas que envolvam o bioma da Amazônia

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) vai selecionar até 10 Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) da região Norte para integrar seu ecossistema de inovação. O objetivo da iniciativa é promover a pesquisa e o desenvolvimento de soluções inovadoras no Norte do Brasil nas áreas de materiais avançados, bioeconomia florestal, economia circular, biotecnologia e biofármacos. A iniciativa ocorre em parceria com o Ministério da Educação (MEC) e com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Cada instituição selecionada vai receber cerca de R$ 3 milhões para atuar, como Unidade EMBRAPII, em projetos de inovação demandados pela indústria. Uma das vagas será preenchida, exclusivamente, por grupos candidatos de Universidades Federais.

O anúncio foi realizado nesta terça, 31 de maio, em evento que contou com a participação do Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Paulo Alvim, do Secretário de Educação Superior, Wagner Vilas Boas e do diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES, Bruno Aranha. O lançamento pode ser conferido aqui: https://youtu.be/7QdsvNit7zg

O Ministro Paulo Alvim citou que “a Universidade pública brasileira e os Institutos Federais fazem a ciência de excelência e, mais que isso, eles efetivamente começam a transbordar e contribuir para transformar o conhecimento em riqueza e parcerias para o setor empresarial. O engajamento por mérito é uma valorização dos ICT´s brasileiros, é a força do conhecimento e da ciência brasileira. É uma ação concreta, para reduzir ‘o gap’ de inovação em função da nossa posição”, frisou, destacando que o país ocupa o 57º lugar no ranking de inovação mundial.

Sobre a parceria com o MEC, o Secretário de Educação Superior reforçou a importância da convergência de esforços dos órgãos para o desenvolvimento igualitário de todas as regiões do país: “agora estamos nos unindo, MEC, MCTI, BNDES e EMBRAPII, para estimular o avanço da pesquisa na Região Norte e ampliar o número de UE´s”. Há sete unidades da Federação nessa Região e doze Universidades Federais com potencial para se tornarem Unidades da EMBRAPII. O Secretário avalia como oportuna uma chamada exclusiva como essa, “para canalizar o credenciamento e potencializar o desenvolvimento de áreas estratégicas, bem como a formação de estudantes e de novos profissionais em nosso país”, complementa.

A parceria entre os Ministérios e o BNDES vai permitir o fomento de pesquisas nas áreas de economia circular, bioeconomia e materiais avançados com foco no bioma amazônico. Na avaliação de Jorge Guimarães, Diretor-presidente da EMBRAPII, ao conhecer o modelo operacional da entidade, os futuros candidatos à UE´s poderão trabalhar “dentro dessa lógica de que o Brasil precisa desenvolver cada vez mais o componente tecnológico, uma vez que temos obtido bastante sucesso na área da pesquisa básica, mas a tecnologia precisa ser também reconhecida como fundamental para o desenvolvimento do país, da economia, da geração de emprego e de impostos. De todas as UE´s espalhadas pelo Brasil, poucas se concentram na Região Norte. Esperamos alcançar o número de 100 Unidades EMBRAPII até o final do ano”.

A iniciativa de metfunding envolve a doação de R$ 170 milhões por parte do Banco para PD&I que, dentro do modelo da EMBRAPII de coparticipação, podem chegar à R$ 510 milhões - ou seja, a para cada um real doado pelo BNDES, a EMBRAPII destina mais um real, que é somado a outro real de empresas. Segundo o Diretor de Crédito Produtivo Socioambiental do BNDES, Bruno Aranha, “para que se possa atingir perenidade no desenvolvimento sustentável e deixar um legado na capacidade de inovação é fundamental que o corpo de UE´s avance nessa Região. As primeiras dez instituições que se qualificarem como novas Unidades atingem um novo patamar, adquirem novo vigor para desenvolverem pesquisas em campo com acesso a esses recursos e, certamente, impactam na preservação do meio ambiente e no desenvolvimento econômico e social dessa localidade”.

A EMBRAPII possui uma rede de 76 Unidades – ICTs credenciadas com infraestrutura de ponta e pesquisadores qualificados para apoiarem a indústria a superar seus desafios tecnológicos. Elas estão à frente de mais de 1500 projetos que somam R$ 2 bilhões em investimentos, envolvendo cerca de 1.100 empresas, e contabilizam mais de 500 pedidos de propriedade intelectual. Somente em sustentabilidade e economia circular, a EMBRAPII já investiu cerca de R$ 170 milhões para o desenvolvimento de 130 projetos de empresas.

O credenciamento de novas Unidades EMBRAPII no Norte do país está previsto no contrato da EMBRAPII e do BNDES. O acordo contempla o desenvolvimento de soluções inovadoras na área de transformação digital, defesa, novos materiais, bem como quatro temas relacionados à sustentabilidade social e ambiental: bioeconomia florestal, biocombustíveis, economia circular e tecnologias estratégicas para o Sistema Único de Saúde.

a seleção de novos grupos de pesquisa em Universidades Federais vai fomentar a conexão da Academia com o setor industrial – o que potencializa a alavancagem de recursos privados no desenvolvimento de projetos de inovação em ambiente universitário e contribui para a formação profissional dos estudantes.  Até o momento, há 26 Unidades EMBRAPII na rede federal de universidades.

 

Sobre a EMBRAPII

Criada em 2013, a EMBRAPII é um Organização Social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), órgão supervisor, e aos Ministérios da Educação, da Saúde e da Economia. Por meio de recursos não reembolsáveis, ela fomenta a inovação por meio de parcerias entre empresas e instituições de pesquisa públicas e privadas. Seu modelo de atuação permite agilidade, flexibilidade e risco reduzido no apoio a projetos de PD&I das empresas. A EMBRAPII possui a vantagem de atuar em fluxo contínuo, ou seja, a qualquer momento a empresa pode desenvolver projetos sem a necessidade de esperar por edital e sem valor mínimo por projeto, permitindo o apoio à inovação com agilidade, flexibilidade e sem burocracia. Em média, os projetos apresentados pelo setor produtivo são contratados e iniciados em um mês.

 

BNDES

Fundado em 1952 e atualmente vinculado ao Ministério da Economia, o BNDES é o principal instrumento do Governo Federal para promover investimentos de longo prazo na economia brasileira. Suas ações têm foco no impacto socioambiental e econômico no Brasil. O Banco oferece condições especiais para micro, pequenas e médias empresas, além de linhas de investimentos sociais, direcionadas para educação e saúde, agricultura familiar, saneamento básico e transporte urbano.

 

 

 

Assessoria de Imprensa EMBRAPII