Quinta, 08 Julho 2021 17:32

OMAR AZIZ FAZ DAS SUAS, E SENADO PAGA O PATO...

Avalie este item
(0 votos)
O senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) conversou com o ministro da Defesa, general Braga NettoSérgio Lima/Poder360 - 3.mar.2021

POR 

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) disse no Twitter, nesta 5ª feira (8.jul.2021), que conversou com o ministro da Defesa, o general Walter Braga Netto, e que o conflito entre o senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado, e as Forças Armadas foi “fruto de um mal-entendido” e o episódio já foi “esclarecido” e “está encerrado”.

“Ressaltamos a importância do diálogo e do respeito mútuo entre as instituições, base do Estado Democrático Direito, que não permite retrocessos”, disse Pacheco sobre a conversa com o ministro.

“Deixei claro o nosso reconhecimento aos valores das Forças Armadas, inclusive éticos e morais, e afirmei, também, que a independência e as prerrogativas de parlamentares são os principais valores do Legislativo”, afirmou.

 

Durante o depoimento de Roberto Ferreira Dias, ex-diretor de logística do Ministério da Saúde, Omar Aziz disse que “os bons das Forças Armadas devem estar muito envergonhados com algumas pessoas que hoje estão na mídia”.

Fazia muito tempo, fazia muitos anos que o Brasil não via membros do lado podre das Forças Armadas envolvidos com falcatrua dentro do Governo. Fazia muitos anos”, disse o senador. O congressista se referia aos militares que foram ouvidos pelo colegiado.

Uma coisa de que a gente não os acusava era de corrupção, mas, agora, Força Aérea Brasileira, Coronel Guerra, Coronel Elcio, General Pazuello e haja envolvimento de militares”, disse. A fala de Aziz ocorreu depois de questionar Roberto Dias sobre já ter sido sargento da Aeronáutica. O ex-diretor Ministério da Saúde respondeu de forma afirmativa.

Horas depois, após o término da sessão e detenção de Roberto Dias, o Ministério da Defesa e os comandantes das Forças Armadas repudiaram em nota oficial as declarações de Aziz. No comunicado, é dito que Aziz fez declarações “desrespeitando as Forcas Amadas e generalizando esquemas de corrupção”.

As Forças Armadas não aceitarão qualquer ataque leviano às instituições que defendem a democracia e a liberdade do povo brasileiro”, diz a nota. O comunicado foi assinado pelos comandantes da Marinha, Exército e Aeronáutica e pelo ministro da Defesa, Walter Braga Netto.