Quarta, 05 Maio 2021 16:40

MITO NA FRENTE NAS PESQUISAS DE SÃO PAULO

Avalie este item
(0 votos)

Pesquisa indica que Bolsonaro lidera corrida presidencial em São Paulo

POR TERÇA LIVVRE

O presidente da República, Jair Bolsonaro, lidera a corrida presidencial para 2022 no estado de São Paulo, segundo pesquisa publicada nessa segunda-feira (3) pelo instituto Paraná Pesquisas. 

O levantamento ouviu mil e seiscentos eleitores de São Paulo e os resultados mostram o atual presidente à frente em dois possíveis cenários para o primeiro turno das eleições. 

Foram analisados dois possíveis cenários de eleições: um no qual o ex-presidente Lula é um dos candidatos e outro no qual Fernando Haddad é o rival.

Nas duas situações, Bolsonaro tem o maior número de intenções de votos para eleitores de São Paulo.

No primeiro cenário, Bolsonaro tem 32% dos votos; Lula 23,7%, Sérgio Moro 6,7%, João Doria 6,3%, Ciro Gomes 6,1% e Luciano Huck  5,2%. João Amoêdo e o senador Rodrigo Pacheco sequer atingiram 5% das intenções de voto.

Sem Lula, a segunda situação mantém Bolsonaro no topo das intenções de voto com 32,7%. Depois dele, Haddad estaria com 23,7%, Ciro Gomes 8,3%, Luciano Huck 7,6%, Sérgio Moro 7,3%, João Dória 7,1%. Neste cenário, João Amoêdo e o senador Rodrigo Pacheco também não atingiram 5% das intenções de voto.

Segundo o analista político Carlos Dias, durante o Boletim da Manhã desta quarta-feira (05), destacou a importância e influência do colégio eleitoral do Estado de São Paulo.

“Nós temos um colégio eleitoral que não pode ser absolutamente desprezado, que é o maior colégio eleitoral do Brasil que é o do estado de São Paulo. Então, nós temos também entender que isso se espalha para a formação de uma bancada de sustentação na Câmara Federal e também de uma vaga no Senado extremamente relevante, que eu já disse aqui que é a vaga do José Serra, é a vaga que será disputada agora”, apontou Carlos Dias.

“Então, é muito importante que se tenham candidaturas qualificadas, alinhadas no campo do governo, tanto no Senado e também como deputados federais. Para poder fazer uma bancada bastante segura. Agora, repito, o presidente Bolsonaro está em uma situação isolada de avaliação, não está dentro do que foi colocado pelo Paraná Pesquisas por nenhum aliado do governo e isso geraria tanto para o candidato do governo quanto para o próprio presidente uma alavancagem com tendência eleitoral maior do que estamos vendo expressa agora”, concluiu o analista político.