Quinta, 05 Maio 2022 18:36

STF - GOVERNADOR SAI MAIS OTIMISTA

Avalie este item
(0 votos)
Na saída do STF, governador Wilson e presidente da Aleam, dep. Roberto Cidade Na saída do STF, governador Wilson e presidente da Aleam, dep. Roberto Cidade Fotos/by Bob

O GOVERNADOR WILSON LIMA AO SAIR DO ENCONTRO, NESTA QUINTA, 5, COM O PRESIDENTE DO STF - SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL - LUIZ FUX, SE DISSE BASTANTE OTIMISTA sobre a demanda exposta ao ministro para que o Amazonas, a Amazônia não tenham perdas com os ataques econômicos contra a ZFM - Zona Franca de Manaus. 

REDAÇÃO AGNORTE/MARLEN LIMA

Segundo Wilson, a entrada de Fux neste processo, onde o Governo do Amazonas entrou com ADI - Ação direta de Inconstitucionalidade - será num plano mais à frente, e que neste primeiro momento quem está com a 'bola da vez', com o processo nas mãos é o ministro Alexandre de Moraes, com quem Wilson também se encontrou na noite de quarta, 4, no STF. 

""O objetivo é de vir, aqui, para mais uma vez fazer um apelo, para que haja uma sensibilidade dos ministros, no sentido, de dar uma decisão favorável ao Estado do Amazonas contra os decretos que foram publicados, aquele que zera a alíquota dos concentrados, e também da redução do IPI para 35%", disse o governador, que ressaltou que o Amazonas não é contra a redução tributária no Brasil, "mas, o modelos Zona Franca de Manaus precisa ser respeitado".

O governador acredita que primeiramente deve ser decidido pelo Pleno do STF, o pedido de liminar que o Governo entrou para sustar os efeitos dos decretos, sobre especialmente do mais recente, o IPI da ZFM, que teve aumento de redução de 25% para 35%, o que traz enormes prejuízos econômicos ao Amazonas.

Para tanto, junto a Wilson, esteve nestas reuniões no STF, o secretário de Fazendo do Estado, Alex Del Giglio, bem como o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas dep. Roberto Cidade, que também veio apresentar aos ministros do STF não só a enorme insatisfação política, especial do povo do Amazonas, que vê nesses decretos do Governo Federal uma ameaça séria aos empregos gerados pela ZFM. Diante disto, a presença de Roberto Cidade foi para levar aos ministros do STF, que o parlamento também entrou com ADI´s para defender o modelo Zona Franca.

Wilson lembrou a Fux e Moraes, que o modelo ZFM não é prejuízo ao país, e pelo contrário, é uma forma de se manter nossa Amazônia protegida, e é algo que é defendido pela Constituição.

BOLSONARO

Perguntado sobre o que Bolsonaro tem dito sobre esses decretos, Wilson deixou claro que não falou pessoalmente com o presidente da República, e que lamenta que técnicos, e/ou até mesmo as deturpações do ministro Paulo Guedes têm gerado este desconforto econômico para o Amazonas, "a relação continua sem nenhum problema, a gente continua conversando, o que a gente lamenta é que o governo (federal) está muito mal assessorado, e que desde o início do governo (Bolsonaro), o ministro da Economia tem se mostrado contrário ao modelo Zona Franca de Manaus, e o objetivo dele é acabar com a ZFM", disse Wilson.

Roberto Cidade representando o parlamento estadual, enfatizou que na assinatura do pedido da quarta ADI contra os decretos prejudiciais a ZFM, todos os deputados assinaram. "Fico muito otimista, o ministro Fux muito solícito, e assim que possível vai trabalhar para pautar em breve estes processos". 

Para Cidade é certo que o parlamento já vem discutindo novas matrizes econômicas para o Amazonas, mas ele deixou claro que independente disto, o modelo ZFM não se pode abrir mão de continuar tendo.