Sábado, 08 Janeiro 2022 06:19

Escolas ribeirinhas começam o ano

Avalie este item
(0 votos)

Prefeitura de Manaus realiza a abertura do ano letivo nas escolas do rio Negro nesta sexta-feira, 7/1

A Prefeitura de Manaus realizou a abertura do ano letivo das escolas ribeirinhas do rio Negro, nesta sexta-feira, 7/1, na Escola Municipal José Sobreira do Nascimento, localizada na comunidade Nossa Senhora de Fátima, na região do Tarumãzinho, com o tema “Escola e sociedade, na construção coletiva de uma educação de excelência para Manaus”. 

 

O evento contou com a presença dos 29 gestores e 133 professores das escolas localizadas no rio Negro, e também marcou a inauguração do 2º Centro de Tecnologia Educacional (CTE), da Secretaria Municipal da Educação (Semed). 

A zona rural ribeirinha do rio Negro conta com 29 unidades de ensino, que atenderão aproximadamente 2.160 alunos da Educação Infantil ao 9º ano do Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA). 

O secretário municipal de Administração, Planejamento e Gestão, Ebenézer Bezerra, que representou o prefeito de Manaus, David Almeida, reforçou a felicidade de ver os resultados que estão sendo alcançados em apenas um ano de gestão.

“É um momento histórico que estamos vivendo hoje, porque por determinação do prefeito David Almeida, pelo carinho que ele tem pela Educação, pelo empenho, pela gestão que está sendo feita pelo secretário Pauderney, esses grandes avanços que foram relatados aqui pela professora Rosa, demonstram o verdadeiro resgate que está acontecendo na educação da zona rural”. 

E para que esse momento pudesse acontecer, o secretário Pauderney Avelino aponta que foi necessária uma ação integrada da Semed, visando o melhor para os servidores e para os estudantes. 

“Estamos iniciando as aulas com escolas que estão reformadas, fazendo ações pedagógicas e de valorização dos professores, exatamente no sentido de proporcionar educação de qualidade no mesmo nível da zona urbana de Manaus. Eu quero agradecer a toda equipe, a Rosa, que é chefe da DDZ Rural, que tem feito um trabalho magnífico, ao Marcelo Campbell, subsecretário de Infraestrutura, que não tem medido esforços para trazer o melhor para estas escolas, tanto ribeirinhas quanto as rodoviárias”, reforçou Pauderney.

A chefe da Divisão Distrital Zonal (DDZ), Rosa Denise Diniz, falou sobre os desenvolvimentos tecnológicos e pedagógicos. “O nosso prefeito David Almeida vem com o objetivo de ampliar e melhorar a qualidade de ensino, principalmente na área rural de Manaus, que era desassistida. Este ano foi a primeira vez que tivemos uma jornada pedagógica direcionada para a área ribeirinha, e isso faz parte da inovação que estamos compartilhando nessa gestão. Implantamos os centros tecnológicos e vamos ampliar a excelência na educação”, finalizou.

 

Centro de tecnologias 

Na ocasião, o secretário Pauderney Avelino inaugurou o 2° Centro de Tecnologias Educacionais (CTE) de Manaus. O espaço de aprendizado está equipado com 14 computadores, que possuem jogos educativos, como o tux paint, game alfa, number magic, que visam potencializar o ensino e aprendizagem, por meio de práticas voltadas à tecnologia e inovação.

A gestora da unidade, Maria Ozenilda de Lima, falou sobre o novo espaço tecnológico-educacional da escola. “Estamos extremamente felizes. É com muita satisfação que estamos recebendo o CTE, que dará um suporte a mais para o aprendizado dos nossos alunos”.

A aluna do 6° ano, Vitória Barra Moreira, 11 anos, pertencente à comunidade indígena Acural, achou positivo o novo espaço inaugurado. “Gostei do espaço e vai ajudar muito, porque lá em casa não tem internet como tem aqui, então aqui posso aprender melhor. Nos computadores têm jogos de matemática e português, que são muito legais”, afirmou.

 

Calendário 

O calendário especial para as escolas do campo ribeirinho, a destacar, escolas do rio Negro, é amparado pelo Artigo 23, da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), e visa garantir os 200 dias letivos e 800 horas previstos pela LDB, para que os alunos não tenham prejuízo na aprendizagem.

Além da aproximação da realidade escolar às peculiaridades das comunidades que vivem na floresta e às margens dos rios, tornando a aprendizagem significativa e valorizando amplamente a cultura local. 

Ainda no mês de janeiro, no período de 10 a 14/1, ocorrerá a acolhida dos estudantes, aplicação e correção da sondagem, assim como preenchimento da planilha pelo professor e preenchimento do link com as devidas informações.

 

 

— — —

Texto – Divulgação / Semed - PMM