Segunda, 15 Novembro 2021 11:22

FEIRINHA NO POVOS DA AMAZÔNIA

Avalie este item
(1 Votar)

Feira de Economia Criativa estreia com sucesso no Centro Cultural dos Povos da Amazônia...O evento visa apoiar empreendedores criativos e segue com programação todos os domingos até 19 de dezembro. A entrada é gratuita

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, realizou, neste domingo (14/11), a primeira edição da “Povos Criativos: Feira de Economia Criativa”, no Centro Cultural dos Povos da Amazônia (CCPA), localizado na avenida Silves, 1.222, Distrito Industrial. O evento, que faz parte do programa +Cultura, atraiu a população com expositores de segmentos como gastronomia, artesanato, sebo, arte indígena, design gráfico, antiquário, além de apresentações artísticas.

A programação segue até o dia 19 de dezembro, sempre aos domingos, das 9h às 17h, com entrada gratuita. A proposta é apoiar os empreendedores criativos e garantir trabalho e renda neste final de ano.

“Reunimos os profissionais criativos na estrutura onde já acontece a Feira da ADS e convidamos toda a população para prestigiar os nossos artistas, artesãos, trabalhadores da economia criativa e da cultura, para que dessa forma possam nos auxiliar, nesse momento de retomada da economia do segmento”, comentou o secretário de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz.

Programação

Com opções para toda a família, o visitante pode tomar café da manhã regional no espaço do “Café Criativo”, com assinatura da Rota dos Chefs; visitar as atrações do centro cultural (exposições, Museu do Homem do Norte, Galeria de Arte); além de conferir o trabalho dos expositores e incentivar o empreendedorismo criativo. Também há atividades para as crianças.

O evento teve avaliação positiva dos empreendedores e também do público que prestigiou a estreia.

A artesã Tereza Munduruku, que trabalha com sementes e pinturas, destacou a importância da feira para a visibilidade da arte indígena.

“Só tenho a agradecer e dizer que é muito importante estar aqui hoje porque sou aldeada e, assim como outros aldeados que estão aqui, devido a pandemia a gente não teve oportunidade de oferecer, de vender nossos produtos, nosso artesanato por um tempo. Só temos a agradecer à Secretaria por ter cedido este espaço para a gente, afinal essa casa também é nossa, dos Povos da Amazônia”, enfatizou a artesã.

Bertha Marquez vende comidas típicas da Colômbia e ficou otimista com o movimento. “Minha vontade sempre foi trazer uma parte do meu país para Manaus, onde já moro há 20 anos, e mostrar uma parte dos quitutes colombianos. As minhas bolachas (obleas) foram muito bem aceitas pelo público, especialmente a de doce de leite com queijo de búfala, saiu bastante”, comentou.

A empreendedora contou que também está fazendo adaptações da sobremesa colombiana utilizando as frutas da região. “Manaus tem uma variedade de frutas muito grande e eu estou tentando experimentá-las no recheio das obleas. No momento estou usando cupuaçu, porque combina muito bem com o doce de leite”, disse.

O estudante de Direito, Rosemiro Júnior, prestigiou a feira e aproveitou para conhecer o Centro Cultural. “Eu vim pela feira, porque me interessei muito pela programação, e o que a gente pode encontrar aqui. E aproveitei para fazer a visitação ao Povos da Amazônia, que é um espaço que sempre tive vontade de conhecer. Gostei muito, tudo muito bacana!”, destacou o estudante.

A dona de casa Jânie Maria conferiu o evento com a família. “Viemos conhecer a feira, olhar as novidades. Gostamos do espaço, dos estandes. Também experimentamos as comidas dos outros países. Muito bom, uma ótima opção para as manhãs de domingo. Também aproveitamos para visitar as exposições e o museu”, contou.