Quarta, 10 Novembro 2021 18:55

SETOR MÉDICO ATRÁS DE EMENDAS

Avalie este item
(1 Votar)

Assembleia Legislativa realiza Cessão de Tempo para ouvir demandas de Fundações hospitalares

Com objetivo de expor programas médicos e solicitar apoio dos deputados estaduais, por meio de indicação de emendas parlamentares ao orçamento 2022, representantes de Fundações hospitalares estaduais participaram de Cessões de Tempo, durante o Grande Expediente, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

O primeiro a se pronunciar foi o chefe do serviço de endoscopia da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (FCecon), gastroenterologista Marcelo Tapajós, que participou de Cessão de Tempo solicitada pelo deputado Delegado Péricles (PSL).

O médico apresentou dados sobre o câncer no sistema digestivo, e falou que essa doença é a terceira maior causa de óbito nos pacientes oncológicos, perdendo apenas para o câncer de pele e câncer de útero, nas mulheres, e câncer de próstata, nos homens.

Tapajós relatou que a Fundação planeja implementar um projeto de fortalecimento da endoscopia diagnóstica e preventiva, e para isso precisa adquirir um equipamento de endoscopia capaz de detectar precocemente a doença. O equipamento é importado e na cotação atual do dólar custa R$ 1.748 mi, mais R$ 6 mil mensais para manutenção de equipe e maquinário; por isso o médico solicitou indicações dos parlamentares ao orçamento de 2022.

PRÓ DEMANDA

Os deputados Wilker Barreto, Dermilson Chagas, Dra. Mayara Pinheiro (Progressistas) e Serafim Corrêa (PSB) se manifestaram favoráveis à demanda, e sugeriram que cada um dos 24 deputados apresentem emendas parlamentares no valor de R$ 100 mil para viabilizar a compra.

Em seguida Ronaldo Amazonas, diretor-presidente da Fundação Hospitalar de Dermatologia e Venereologia Alfredo da Matta (Fuham), ocupou o tempo cedido pelo deputado Sinésio Campos (PT) para falar sobre o Projeto Ação para Eliminação da Hanseníase (Apeli), realizado pela instituição com objetivo de conscientização, prevenção e diagnóstico da doença nos municípios do Amazonas.

“Já conseguimos visitar cinco municípios do interior, e nesse primeiro momento tínhamos uma projeção de diagnosticar cerca de 30 casos, porém, já foram detectados 70 casos”, disse o diretor-presidente; que falou ainda que os médicos e técnicos realizam atendimentos psicológico, farmacêutico, e diagnóstico de todas as doenças dermatológicas tratadas pela Fuham.

Diante da importância do serviço, Ronaldo Amazonas também pediu ajuda à Casa Legislativa com indicação de emendas ao orçamento com a finalidade de custear o programa.

 

 

,,,,

Diretoria de Comunicação da Aleam