Imprimir esta página
Segunda, 06 Setembro 2021 10:13

MANAUS E AS TONELADAS DE LIXO DIÁRIO

Avalie este item
(3 votos)

Prefeito David Almeida fiscaliza transbordo de resíduos sólidos para aterro municipal

O TRABALHO PARA DEIXAR UMA CIDADE LIMPA NÃO TEM SIDO ALGO FÁCIL, QUANDO O PRÓPRIO CIDADÃO CABÔCO É OQUE MAIS TE SUJADO A SUA CIDADE, assim, a Prefeitura de Manaus tem realizado um trabalho árduo não só pelas ruas de Manaus, mas, também em seus igarapés, e o transbordo desses lixos chegam até mais de 600 toneladas de resíduos sólidos, no porto Trairi, no bairro Santo Antônio, zona Oeste.

Neste último domingo, 5, este trabalho da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), que tem sob seu comando Sabá Reis, e tal operação foi fiscalizado pelo prefeito David Almeida, que enfatizou a importância da conscientização quanto ao descarte correto de resíduos sólidos, para que esse trabalho seja cada vez menor, e com isto custo possa ser investido em outras áreas da gestão.

“Essas são 600 toneladas de lixo que iriam para o rio Negro e foram recolhidos dos nossos igarapés, pelas equipes da Semulsp. É um dos serviços mais caros da Prefeitura de Manaus. Nós gastamos aproximadamente 300 milhões por ano, só para recolher lixo. Nosso foco agora é uma campanha de conscientização para a população, para não poluirmos os rios e preservarmos nossos mananciais. Com isso, esse valor poderá ser alocado na educação, saúde, transporte, e tantas outras áreas”, enfatizou o prefeito.

As 600 toneladas de resíduos sólidos foram retiradas nos últimos 30 dias de todo o encosto da orla da capital, pelas equipes da Semulsp, e transportadas até o aterro sanitário municipal, localizado no quilômetro 19, da estrada AM–010 (Manaus – Itacoatiara).

O titular da Semulsp, Sabá Reis, comentou sobre a rotina de trabalho da Semulsp e deixou uma mensagem à população quanto a logística reversa que pode ser realizada com muitos itens, que vão parar nos rios e igarapés de Manaus, por ações indevidas da população.

“Dentro daquela rotina que nós já estamos acostumados, o que não é bom estarmos acostumados, nós estamos desde cedo no porto trabalhando para levar esse lixo para o aterro. São mais de 600 toneladas e muita garrafa PET. A gente aproveita para pedir à população que tenha consciência, afinal, esse PET pode ser dinheiro, pão, açúcar, sal, farinha”, enfatizou o secretário Sabá Reis.

 

Logística reversa

A logística reversa da garrafa PET é um processo que tem como objetivo a recuperação de valor, seja econômico, legal, social, logístico, de imagem ou de prestação de serviço. Ou seja, a garrafa PET, um dos itens que mais polui o meio ambiente, pode ser utilizada de diversas maneiras, como a reciclagem, trazendo retorno para a população, e principalmente não poluindo o rio.

 

 

 

— — —

Texto – Maryane Maia/ Semcom

Fotos – Ruan Souza e Altemar Alcântara / Semcom