Segunda, 21 Junho 2021 10:16

'COALIZÃO PELO BEM' NA CAPTURA DE BANDIDOS

Avalie este item
(0 votos)

Indivíduos foram presos pela Polícia Civil do Amazonas durante operação ‘Coalizão pelo Bem’

Marcelo da Silva Nunes, conhecido como “Jogador”; Pedro da Silva de Carvalho, chamado de “Pedrinho”; e Sérgio Pereira Miranda, o “Jurandir” foram presos pela Polícia Civil do Amazonas. Estes homens são apontados pela Inteligência da Polícia como mandantes dos ataques criminosos que Manaus sofreu semanas atrás.

A prisão ocorreu neste fim de semana, e domingo, 20, por volta das 16h30, os bandidos chegaram a Manaus. ELes foram pegos no Complexo da Penha, no Rio de Janeiro.  

CUNHADO

A ação policial, que foi coordenada pela delegada-geral da PC-AM, Emília Ferraz, com o Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera), resultou nas prisões dos três indivíduos, que são membros de uma organização criminosa. Marcelo é cunhado do traficante Gelson Carnaúba, e Pedro seria o responsável pela gerência financeira do grupo criminoso.

“Após várias interlocuções com o Governo do Rio de Janeiro e o secretário de Polícia Civil daquele estado, foi possível realizarmos a operação ‘Coalizão pelo Bem’ no Complexo da Penha, onde há mais de dez anos não era realizada esse tipo de ação. E assim, conseguimos finalizar esse trabalho, efetuando as prisões desses criminosos”, enfatizou a delegada-geral, Emília Ferraz.

COMANDO NO RIO

O delegado Bruno Fraga, diretor do DRCO, informou que desde os primeiros ataques, ocorridos no dia 6 de junho, a Polícia Civil iniciou as investigações, quando foi descoberto que os crimes haviam sido ordenados daquele estado.

“Conseguimos localizar o esconderijo deles, no Complexo da Penha, fomos até lá e efetuamos as prisões. Mais uma vez um trabalho de cooperação no enfrentamento ao crime organizado e mostrando para a população amazonense que a gente consegue manter a ordem no nosso estado”, ressaltou o delegado.

MAIS DE 120 milhões

Os criminosos são suspeitos de enviar mais de R$ 126 milhões para fortalecer facção criminosa no Amazonas e comprar armas e drogas. Eles se valiam do sistema bancário e de empresas de fachada para a remessa de valores do Rio de Janeiro para o Amazonas. Durante a ação policial, que também foi deflagrada no Amazonas, foram cumpridos cinco mandados de prisão e quatro veículos de luxo foram apreendidos, patrimônio que gira em torno de meio milhão de reais.

Todos os investigados serão encaminhados à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde permanecerão à disposição da Justiça.

 

...

SECOM GOV DO AM