Imprimir esta página
Sexta, 04 Junho 2021 09:57

Dia Mundial da Bicicleta

Avalie este item
(1 Votar)

Modal que Revolucionou a Mobilidade Urbana na Pandemia...Abraciclo destaca que pedalar passou a ser fonte de renda e segurança para evitar a aglomeração do transporte público 

 

As bicicletas transformaram a vida de muitas pessoas. No Dia Mundial da Bicicleta – comemorado em 3 de junho -, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo destaca o protagonismo desse veículo, que deixou de ser encarado apenas como uma opção de esporte e lazer, e passou a ser usado em serviços de entrega e como meio de transporte para evitar a aglomeração dos ônibus, trens e metrô no cenário da pandemia.

“Pedalar agora faz parte do cotidiano de grande parte da população. Hoje a bicicleta é instrumento de trabalho e fonte de renda para muitas pessoas que perderam seu emprego durante a pandemia”, afirma o vice-presidente do segmento de bicicletas, Cyro Gazola.

O ex-analista de sistemas, Iuri Sabino, é um exemplo disso. Morador da cidade do Rio de Janeiro, foi demitido no final do ano passado e fez da paixão pelo ciclismo o seu sustento: trabalha como entregador e mecânico de bicicletas. “Peguei o dinheiro da rescisão do contrato e fiz um curso de mecânica. Ter um certificado é um importante diferencial no mercado”, conta.

Quem também se divide entre duas profissões é o paulista Eduardo Christian. Microempresário cultural, atua no serviço de entrega há seis anos. “Comecei trabalhando para um aplicativo. Hoje tenho clientes fixos. Pedalo, no mínimo, 50 quilômetros por dia, percorrendo as ruas e avenidas das regiões central e oeste de São Paulo”, diz. “A área da cultura foi duramente atingida pela pandemia, por isso a bicicleta representa hoje a minha principal fonte de renda”, enfatiza.

 

Primeiras pedaladas

Enquanto uns pedalam para garantir sua fonte de renda, outros adotaram a bicicleta para fugir da aglomeração do transporte público. É o caso de Ana Carolina, esposa de Iuri Sabino. Professora de educação infantil, costumava pegar dois ônibus para ir até a escola onde leciona. Devido ao trânsito, levava uma hora e meia para percorrer os cinco quilômetros de distância entre a casa e o local de trabalho. “No início da pandemia, ela usava os carros por aplicativo: pagava nove reais e demorava 40 minutos. Até que um dia se cansou e pediu para eu ensiná-la a pedalar. Hoje só vai ao trabalho de bicicleta e diz que se sente mais saudável”, diz Iuri.

A bicicleta garante mais qualidade de vida, pois melhora a condição física e reduz o estresse - além de não poluir. “Para estimular essa prática e o uso como meio de transporte, necessitamos do envolvimento do poder público na ampliação da malha cicloviária nas cidades, possibilitando uma locomoção com mais segurança aos usuários”, destaca Cyro Gazola. 

A arte terapeuta em saúde mental, Regiane Teixeira Barbosa, concorda com o executivo. Três vezes por semana, ela pedala de Osasco (SP), onde reside, até os bairros da Brasilândia e da Mooca, na capital paulista, e admite que toma uma série de cuidados para evitar riscos. “É preciso melhorar a infraestrutura cicloviária e conscientizar os motoristas sobre a necessidade de respeitar os ciclistas”, alerta.

A estagiária de psicologia Isabella Almeida Dias tem a mesma opinião e conta que evita pedalar no período da noite. Moradora de Campo Grande (MS), ela usa a bicicleta para ir aos treinos de basquete e fazer atendimentos na casa de pacientes. “A região é bastante montanhosa e pedalar exige muito fôlego. Mas tenho muitas vantagens: chego mais rápido nos lugares e minha qualidade de vida melhorou”, afirma.

 

Made in Manaus

Instalada no Polo Industrial de Manaus desde 1975, a indústria brasileira é a quarta maior produtora mundial e gera cerca de 4,5 mil empregos diretos e indiretos no PIM. As associadas da Abraciclo (Caloi, Houston, Oggi e Sense Bike) são responsáveis por 40% da produção de bicicletas no País.

A analista de processos da Caloi, Glaucia Oliveira, além de pedalar, faz parte do time de colaboradores que ajudou a produzir mais de 222 mil bicicletas no primeiro quadrimestre no PIM. Ela começou como estagiária e hoje atua no laboratório para analisar as peças fabricadas e compradas pela fabricante. “O processo é rigoroso para garantir a qualidade da bicicleta e a segurança dos usuários”, conta. “Tenho muito orgulho do meu trabalho, pois ajudo a construir um mundo melhor e mais saudável”, completa.

 

Cartão comemorativo

        Em homenagem ao Dia Mundial da Bicicleta a Abraciclo produziu um cartão comemorativo sobre o tema. O objetivo é homenagear o ciclista que pedala tanto para o lazer, como para o esporte e o trabalho.

        Com esta iniciativa, a associação dá início a uma série de ações de relacionamento junto a diversos grupos, enviando cartões que destacam as principais datas comemorativas do segmento de Duas Rodas.

 

Link para fazer o download do cartão: https://we.tl/t-GcstIJOulU

 

Sobre a ABRACICLO e o Setor de Duas Rodas

Com 45 anos de história e contando com 14 associadas, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – ABRACICLO representa, no País, os interesses dos fabricantes de veículos de duas rodas, além de investir em ações visando a paz no trânsito e a prática da pilotagem segura. A fabricação nacional de motocicletas, quase totalmente concentrada no Polo Industrial de Manaus (PIM), está entre as sete maiores do mundo. No segmento de bicicletas, com as principais fábricas também instaladas no PIM, o Brasil se encontra na quarta posição entre os principais produtores mundiais. No total, as fabricantes do Setor de Duas Rodas geram cerca de 13,9 mil empregos diretos em Manaus/AM.

 

 

MOTOCICLETAS*

BICICLETAS*

Frota nacional: acima de 29 milhões
de unidades

Frota nacional: mais de 70 milhões
de unidades

Produção anual: acima de 961 mil unidades

Produção anual: 2,5 milhões
de unidades**

7º maior produtor mundial

4º maior produtor mundial


(*) Dados do fechamento de 2020.
(**) Estimativa de produção em todo o território nacional e excluídas as bicicletas infantis.