Quinta, 03 Junho 2021 10:54

WILSON E SECRETÁRIOS NA CPI

Avalie este item
(1 Votar)

COM AG. SENADO

A OPERAÇÃO SANGRIA DA PF EM MANAUS/AM, NESTA SEMANA DEIXOU UM RASTRO DE NOVAS INFORMAÇÕES COLHIDAS NAS residências dos alvos, empresários, do secretário de Saúde do Estado, Marcellus Campêlo, além do próprio governador Wilson Lima, que novamente tem os policiais federais cedo em sua casa.

O caso acima é a continuação da investigação federal, quarta fase, sobre o desvio robusto de verbas públicas, em pleno período de pandemia que vivemos, e governador e demais empresários, além de Marcellus, suspeitos de participarem de um esquema milionário de recursos federais que foram desviados.

Diante destes casos, de prisão empresários e do próprio secretário de Saúde, forçou ao presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz, aliado político de Wilson, a ter que aceitar antecipar o depoimento do governador do Amazonas, que ficou para 10 de junho.

A data antes para Wilson ir ao Senado era 29, deste mês. Além do governador, ficou também para o dia 15/6, o depoimento mais esperado no Senado, em relação aos acontecimewntos pandêmicos no Amazonas é de Marcellus Campêlo, que por ser um homem, que até, então, não havia uma mancha em seu currículo profissional, nenhuma suspeição contra si, uma vez que como engenheiro já esteve à frente de secretarias, em programas públicos tanto do Estado bem como da Prefeitura da Capital, agora terá que provar até onde tem ou não culpa à frente da Sesau, e os erros que ali foram cometidos, ou estão sendo cometidos na ação do enfrentamento ao cornavírus. 

Espera-se muito que Marcellus revele tudo que sabe. O preço hoje é appontar quem de fato deve ser preso, entre outras nuances judiciais e políticas...

POVO E AMAZONAS EM VOGUE

Este caso policial mostra novamente o Amazonas no centro das notícias negativas, em que pese as milhares de mortes pela Covid, em muito disto por erros do Estado, pela grave condução e aplicação dos remédios, na ação precoce e estrututral da saúde pública em Manaus.

Desde o ano passado Wilson sofre fortes suspeições de desvio de recursos no combate da aplicação, justamente, destes recursos federais, e a entrada de Marcellus neste processo pode hoje revelar muita coisa obscura que te ocorrido na gestão governamentel. Especialmente é esperado que fatos concretos sejam revelados, apontando reais culpados.

PRESSÃO

A mudança das datas destes depoimentos, Wilson e Marcellus, partiu do senador Marcos Rogério (DEM-RO), que informou, na abertura da reunião da comissão nesta quarta-feira (2), que a Polícia Federal fez uma grande operação de combate a desvios de verbas públicas no estado. 

— Diante da urgência do dia no Amazonas e face à urgência e à gravidade da situação, peço ao presidente que comunique o governador e o convoque para estar aqui na próxima semana — afirmou o parlamentar.

Marcos Rogério destacou ainda que a operação está apurando justamente roubo de dinheiro no combate à pandemia de covid-19, o que evidencia a urgência da situação. 

— Não sei se temos algo com urgência maior do que essa para garantir uma convocação antecipada. Penso que estamos diante de uma situação grave e que demonstraria à comissão e ao Brasil a necessidade de apuração dos fatos, com diligência e cautela, em busca da verdade — acrescentou. 

Calendário

Mais cedo, nas redes sociais, o presidente Omar Aziz havia divulgado um calendário com as próximas testemunhas a serem ouvidas pela comissão. No dia 10 de junho, estava prevista a ida do palestrante motivacional e especialista em marketing  Marcos Geraldo Arnoud Marques, o Markinhos Show, assessor especial do Ministério da Saúde. Este que já esteve à frente da Secretaria de Comunicação do Estado de Roraima, e foi um dos construtores da campanha vitoriosa de Antonio Denarium ao governo de Roraima.

Os nomes e as datas ainda não foram confirmados na página oficial do colegiado. Conforme a tabela do parlamentar, a CPI passará a ouvir testemunhas também às sextas-feiras. 

Operação 

A Polícia Federal investiga se o governo estadual favoreceu empresários locais na construção de um hospital de campanha em Manaus. Os agentes fizeram buscas na casa de Wilson Lima, na sede do governo, na Secretaria de Saúde e na residência do secretário Marcellus Campêlo, que foi alvo de mandado de prisão. 

Em junho do ano passado, o governador amazonense já tinha sido alvo de uma operação por suspeita de fraude na compra de respiradores. 

Data Atividade/Depoente
Terça-Feira (8) Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga
Quarta-Feira (9) Ex-Secretário de Saúde Élcio Franco

Quinta-Feira (10)

Governador do Amazonas, Wilson Lima
Sexta-Feira (11) Debate com médicos e cientistas. 
Terça-Feira (15) Secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo
Quarta-Feira (16) Ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel
Quinta-Feira (17) Empresário Carlos Wizard
Sexta-Feira (19) Representante da White Martins, Paulo Baraúna

 

Fonte: Agência Senado