Sexta, 23 Abril 2021 09:55

APOIO DOS VEREADORES NAS OBRAS

Avalie este item
(1 Votar)

O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), David Reis (Avante) e mais um grupo de vereadores da capital acompanharam, nesta quinta-feira (22/4), a vistoria feita pelo prefeito David Almeida (Avante) e o vice-prefeito Marcos Rotta, também titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), nas obras do Complexo Viário Professora Isabel Victoria, localizado na avenida Max Teixeira, Cidade Nova, zona Norte, popularmente conhecido como Complexo Viário do Manoa.

Após a vistoria, o prefeito anunciou que o complexo continuará interditado, uma decisão que na opinião do presidente David Reis, foi tomada de forma responsável pelo prefeito, até que o consórcio das empresas corrija os erros estruturais e a cidade de Manaus possa receber uma obra totalmente segura.

“A Câmara Municipal de Manaus se faz presente, justamente para cumprir o seu papel, pois sabe a responsabilidade que o poder do parlamento municipal tem. Nós estamos aqui também, para fiscalizar, para ver as tratativas entre a prefeitura e o consórcio responsável pela obra”, comentou David Reis, expressando o desejo de que a liberação do complexo viário ocorra o mais rápido possível, para que a cidade de Manaus possa usufruir dos benefícios que a obra trará a mobilidade urbana da capital amazonense.

O prefeito David Almeida destacou que a obra do completo viário foi entregue na gestão anterior do prefeito Arthur Neto, com uma série de problemas estruturais, por isso foi interditada e passou por novas intervenções. O complexo seria entregue em 60 dias, mas segundo o prefeito, novamente, a obra não passou nos testes de trafegabilidade.

Ele explicou que do lado leste as correções foram feitas, mas do lado oeste os reparos não foram executados. Na última terça-feira (20/04), o consórcio das empresas desmobilizou e abriu para o trafego, mas a prefeitura imediatamente interditou o local.

“Existe a necessidade do prolongamento da rampa oeste para que diminua a inclinação de 12%, para o limite tolerável de 9%, conforme as normas técnicas, para que a gente possa com segurança liberar o tráfego. Veículos pequenos passam, mas como uma obra que custou 47 milhões de reais, não vai permitir que veículos grandes trafeguem por aqui? Então uma obra da importância como essa, acaba se tornando ineficiente”, explicou o prefeito de Manaus

Mediante a situação da obra, o vereador Sassá da Construção Civil (PT), presidente da Comissão de Serviço e Obras Públicas da Câmara, apresentou projeto de lei para que construções públicas só sejam inauguradas após conclusão dos serviços. Segundo ele, o Projeto de Lei é importante para que não ocorram mais situações como essa aqui do complexo viário.

“O PL vai servir para obras em escolas, creches e outras construções. Eu tenho certeza que será aprovado pelos vereadores da Câmara Municipal de Manaus”, garantiu o parlamentar

O vereador Lissandro Breval (Avante) entrou com um pedido no Tribunal de Contas do Estado para esclarecimento do consórcio formado pelas empresas J Nasser Engenharia Ltda. e Construtora Soma Ltda., executoras do complexo viário do Manoa.

“Demos entrada no Tribunal de Contas do Estado para averiguar a irresponsabilidade dessas empresas, pois essa obra poderia ter causado um grave acidente, e por isso precisamos investigar a antiga gestão, o motivo de ter inaugurado e porquê as empresas não cumpriram o contrato”, questionou o vereador.

Para o vereador Diego Afonso (PSL) acompanhar o andamento das obras na cidade de Manaus é papel da Câmara, fiscalizar os atos do executivo, para que todo e qualquer projeto seja entregue com qualidade e eficiência, para que a população possa utilizar o mais rápido possível.

“Muitas construções são entregues inacabadas e logo após a entrega da obra, passa a não ter serventia nenhuma. Então, precisamos correr para que o recurso da população chegue a servir de fato e melhorar a qualidade de vida do manauara”, disse Afonso.

A preocupação do prefeito em entregar a obra com total segurança à população, foi comentada pelo vereador Wallace Oliveira, que ainda lembrou da importância da funcionalidade de trânsito da cidade. Mas é preciso verificar primeiro os parâmetros de segurança estabelecidos.

“Essa foi a preocupação do prefeito David Almeida entregar à população uma obra de importância, mas dentro dos padrões de segurança e confiabilidade da mesma”, afirmou Wallace.

O vereador Raulzinho, do PSDB, questionou a falta de conclusão de reparos da obra sugeridos pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (Crea-AM). Ele verificou a ata da empresa, onde parte da obra foi cumprida, mas segundo ele, o próprio documento apresenta que nem tudo foi concluído.

“Até na sinalização houve erro. Para se entregar uma obra é preciso toda responsabilidade. Esses pontos técnicos precisam ser resolvidos para que então a obra seja entregue à população”, falou Raulzinho.

Segundo o vice-prefeito e titular da Seminf, Marcos Rotta (DEM), a prefeitura oficializou o consórcio e as empresas devem retomar a obra, sob pena das sanções administrativas previstas no contrato, já que elas assinaram um termo, assinaram a ata concordando em fazer os reparos sugeridos pelo Crea-AM.

“Nós vamos chamar as empresas e dar um prazo para que elas resolvam esse problema. O prefeito David Almeida deve se reunir hoje (22/04) com o consórcio e esperamos que o bom senso prevaleça, e num menor espaço de tempo possível fazer a entrega da via com segurança”, finalizou Rotta.

 

Texto: Arthemisa Gadelha

Foto: Osmar Neto