Segunda, 28 Dezembro 2020 09:17

MAIS UMA OBRA PADRÃO ARTHUR NETO

Avalie este item
(0 votos)

Em sábado voltado à ‘mobilidade humana’, prefeito inaugura T6 e duas estações de transferência

A menos de uma semana de concluir seu terceiro mandato à frente da Prefeitura de Manaus, o prefeito Arthur Virgílio Neto inaugurou neste sábado, 26/12, três obras importantes que integram o pacote para a melhoria da mobilidade na capital: o Terminal de Integração 6 e mais duas estações de transferência, que entrarão em funcionamento na próxima semana. “É um momento especial, montamos uma grande estrutura para a melhoraria da mobilidade humana”, disse, referindo-se ao conceito que coloca as pessoas no centro dos serviços de transporte e ao resumir seu último sábado enquanto gestor da cidade.

O prefeito iniciou a agenda do dia entregando o terminal que recebeu o nome de Helso do Carmo Ribeiro, o T6, localizado no cruzamento das avenidas Governador José Lindoso (conhecida como avenida das Torres) e Comendador José Cruz, no bairro Lago Azul, ampliando a oferta de linhas de ônibus aos moradores da zona Norte.

“O T6 foi criado do zero, aproveitamos um grande terreno. Este é um espaço destinado a facilitar a vida das pessoas do Viver Melhor, dos conjuntos Cidadão, do bairro Lago Azul e adjacências, e desafoga o Terminal 3, no bairro Cidade Nova”, disse Arthur. “É uma obra muito bem feita, que leva o nome de uma pessoa muito querida, o irmão do meu pai, que foi secretário de segurança, conselheiro de contas do Estado e que foi punido injustamente no tempo da ditadura, por isso é importante entender o valor da democracia”, lembrou o prefeito.

Com mais de 23 mil metros quadrados, a obra teve coordenação da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) e possui quatro plataformas de integração, dispostas de forma paralela, que servirão de apoio aos coletivos e aos passageiros, e tem duas entradas diferenciais, uma pela avenida das Torres e outra pelo ramal do Acará.

“A família se sente honrada, principalmente essa sendo uma obra tão importante para Manaus, com tanta gente beneficiada. Nesse terminal pessoas vão chegar, e partir, e essa é a volta da memória de meu pai. Esperamos que os ônibus possam partir levando esperança para população”, destacou o filho do homenageado, Helso do Carmo Filho, durante a solenidade que contou com poucos familiares e sem a presença de imprensa para evitar aglomerações e possíveis novos contágios pela Covid-19, causada pelo novo coronavírus. 

A organização das linhas de ônibus do local teve o planejamento do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU). O novo terminal dará uma maior mobilidade, tanto para quem vai ou vem do Centro, como dos ramais, diminuindo o tempo de viagem. Ainda passando por pequenos ajustes de rotas, o T6 deve entrar em operação até a próxima quarta-feira, 30, assim como as estações de transferência.

“O T6 completa uma série de melhorias que incluem a reconstrução do Terminal 1, as reformas dos Terminais 3, 4 e 5, além do T2 que também é fruto do trabalho no nosso governo, fora uma série de outras obras como estações de transferência. Então, é momento muito feliz para a nossa gestão, que prepara Manaus para o futuro, com um transporte público melhor para a população, que haverá de continuar a ter melhorias nos próximos governos”, estimou o prefeito.

 

Estações de transferência

Em sequência à entrega de obras na área de mobilidade, o prefeito Arthur Virgílio Neto inaugurou as estações de transferência Wilson Wolter Filho, em frente à entrada do conjunto Santos Dumont, e a Engenheiro Francisco José da Costa, na avenida Constantino Nery, em frente às Arenas da Amazônia e Amadeu Teixeira. “Um projeto que eu deixo como legado para Manaus, para mobilidade urbana e humana da capital. Essas obras só foram possíveis porque nós provamos que somos o lado saudável do serviço público”, afirmou o prefeito.

As novas estações seguem o mesmo padrão da estação São Jorge, que funciona no complexo viário Ministro Roberto Campos, na Constantino Nery, e da Parque das Nações, também já entregue, e contam com duas plataformas interligadas por elevadores e passarelas com embarque controlado eletronicamente, portas automáticas, plataformas, piso em asfalto rígido para garantir maior durabilidade e resistência ao fluxo de ônibus. Na prática, funcionam como terminais, proporcionando ao passageiro fazer conexão com diversas linhas de ônibus da cidade, pagando apenas uma tarifa por sentido.

A estação Wilson Wolter Filho (E3), no Santos Dumont, é integrada à passarela, que também foi revitalizada e segue o modelo das outras estações já inauguradas na capital, uma no bairro São Jorge e outra no Parque das Nações. A estrutura possui embarque controlado automaticamente, portas automáticas, plataformas, piso em asfalto rígido, elevador, acessibilidade para Pessoa com Deficiência (PcD) e possui uma área total de 2.100 metros quadrados.

“O meu pai foi um homem de dedicou a vida ao serviço público, lutar pelos seus ideais. Ele passou isso para mim e para minha irmã. Nesse dia é uma mistura de tristeza e saudade, com a alegria pelo reconhecimento prestado nessa homenagem. Muito obrigada, prefeito!”, destacou Marcela Wolter, filha do homenageado, que era pesquisador e professor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Na estação de transferência Engenheiro Francisco José da Costa (E2), homenagem que atende um pedido dos servidores da Seminf, onde o engenheiro atuou por muitos anos, o prefeito Arthur Neto destacou a sofisticação do equipamento urbano em relação a outra estação, já que possui três elevadores e localiza-se em frente à Arena da Amazônia.

“Foi um presente de Natal, estamos muito gratos por isso, só temos a agradecer. Ele era apaixonado por Manaus e pelo trabalho dele, acredito que cada pedacinho da cidade tem um pouco dele”, destacou Jéssica Costa, sobrinha do engenheiro homenageado. “Que essa obra sirva para imortalizar o trabalho de um grande profissional e para fazer a cidade melhorar ainda mais”, complementou Arthur Neto.

 

— — —

Texto – Maryane Maia, Sintia Maciel, Fábio Leite / Semcom

Fotos – Valdo Leão / Semcom