Quarta, 27 Outubro 2021 07:44

BOLSONARO EM RR POR ISAMAR

Avalie este item
(0 votos)
Pastor Isamar Ramalho em culto com presidente Bolsonaro Pastor Isamar Ramalho em culto com presidente Bolsonaro Fotos by Bob

...PRESIDENTE VEM A BV, MAS, VEM POR ISAMAR, E NÃO POR DENARIUM, QUE FICA DE INTRUSO EM EVENTO...

POR MARLEN LIMA

BOLSONARO JÁ ENTROU PARA HISTÓRIA DO PAÍS, FOI ELEITO PELA FORÇA DAS REDES SOCIAIS, O PRIMEIRO NESTE TIPO DE CAMPANHA, que ganhou o Brasil, e infinitamente com menos recursos que seus adversários, Jair Bolsonaro se elegeu presidente, e entra para história também por ser o presidente da República que mais tem vindo à Amazônia, tem vindo aos estados do Amazonas e Roraima.

Nesta nova passagem por Boa Vista, numa mudança de agenda de última hora, o presidente da República não pôde mais ir a Pacaraima, para de perto ver a problemática da imigração em larga escala que acontece ali, há mais de dois anos, e com a vivência da pandemia só piora isto. Venezuelanos, cerca de mais de 600 por dia, atravessam a fronteira brasileira, e o peso desta falência social do país vizinho aperta, e muito a economia, frágil, do município bem como do Estado.

MEIA BOCA

Bolsonaro apesar de ter tido ao seu lado no avião presidencial o deputado federal Hiran Gonçalves, presidente regional do PP/Progressista, que veio de Brasília para Boa Vista, e para uns isto pode parecer que o parlamentar tenha alguma força 'expressiva' junto ao Palácio do Planalto, a verdade é que tem pesado contra Hiran junto a Bolsonaro são os seus aliados, o governador Denarium e o senador Mecias de Jesus.

Segundo fontes, em Brasília, o Capitão tem um olhar desconfiado para estes dois políticos.

Sobre Denarium uma coisa fica clara, ele não é político, ele não tem liderança do seu grupo. E ainda que o governador faça um esforço descomunal para se mostrar um governante apto, porém, justamente são as alianças políticas, as pessoas que cercam e mandam no governo que não ajudam Denarium a ter confiança do presidente, bem como da população também, como podemos ver nos números da pesquisa recente ao governo para 2022, em que Denarium surge com 19% x 76% Teresa, na intenção dos votos. Na Capital teresa leva ainda mais de 80% dos votos.

BAIXINHO GULOSO

Corregedor enviará esta semana à PF foto de senador suspeito de votar duas  vezes

No caso de Mecias o monitoramento político já começou quando o senador fez aquela 'cagada' eleitoral na eleição da Mesa do Senado, em que pese ter sido comprovado que ele votou duas vezes, 'melando' a votação e favorecendo a vitória para presidente do Senado quando se elegeu Davi Alcolumbre. Até hoje, por sinal, a Presidência do Senado se cala sobre o fim real das investigações, e a confirmação do ato espúrio de Mecias.

A lupa do governo federal sobre Mecias não é de hoje. Dado como o comandante do Governo, tendo 'prestígios' que demais aliados de Denarium não tem, o povo de Roraima já sabe que o governador tem só a caneta, e só assina. Politicamente frágil, Denarium vira e volta se 'queima' com o Palácio do Planalto. Lá atrás, quando Jalser Renier era presidente da Assembleia Legislativa, e entrou mandando no Governo, isto também contibuiu para que Bolsonaro e seus generais olhassem enviesado para Denarium.

Ou seja, Bolsonaro tem informações sobre quem é quem, e como tem estado Roraima na sua política. Daí, o presidente da República ter aceito vir aos 106 anos da Assembleia de Deus, nesta terça, 26, em Boa Vista, e prestigiar um velho amigo, o pastor Isamar Ramalho, presidente da igreja evangélica. 

O presidente da República ao prestigiar Isamar, que pode ser possíel candidato ao governo em 2022, politicamente Bolsonaro apenas sinaliza que Denarium não é candidato único, se é que o governador conseguirá ter apoio do seu grupo para sair para a reeleição.

PERRENGA

Isamar ainda não engoliu, segundo fontes palacianas, o desvio de rota que o governador teria determinado quando da última passagem de Bolsonaro a Boa Vista, prejudicando uma manifestação pró Bolsonaro que Ramalho havia produzido. 

Há quem afirme que sequer o governador teria sido convidado para este evento religioso, particular da igreja, porém, Denarium tentando pegar todas as caronas, de novo, no nome e na densidade eleitoral de Bolsonaro, procurou estar 'colado' ao presidente indo ao culto, mas, por lá sequer foi chamado.

Pior.

No discurso de Bolsonaro, na Assembleia, sobre a obrigatoriedade do passaporte da vacina, que o Governo Denarium cobra, o presidente afirmou que isto é errado, que ele é contra obrigar as pessoas a se vacinarem, e muito menos obrigar a ter passaporte vacinal.

O povo da galeria gritava - "E, aí, governador, tá vendo não pode obrigar!".

Sempre sorrindo a tudo, Denarium ali esteve como um 'peixe' fora d'agua.

Pior.

Diante da última pesquisa, com pardos 19% de intenção de votos, já estando a quase três anos de mandato, o governador se vê bem acuado, desprezado pela população. "Isso é humilhante para um governador", disse um cristão da Assembleia de Deus. 

Para Isamar, e ao seu povo de irmãos, ter o presidente Bolsonaro nos 106 anos da Assembleia de Deus foi um enorme prestígio não só a ele, mas, ao povo de Deus, ao povo cristão. Certamente isto reverberá ano que vem caso Isamar entenda sair candidato ao governo, pode surgir como uma terceira via, e quem mais perde com isto será Denarium e seu grupo.