Terça, 30 Junho 2020 13:21

CPI Quer o Número Três do Governo

Avalie este item
(1 Votar)

Ex-secretário Rodrigo Tobias afirma que projeto milionário `Anjos da Saúde` teve interferência de Carla Pollake, número três do Governo

POR Anderson Silva

Durante depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito da Saúde do Amazonas, a CPI da Saúde, nesta segunda-feira, 29, o nome de Carla Pollake voltou a ser destaque durante depoimento do ex-secretário da Susam, Rodrigo Tobias. O gestor revelou que o projeto Anjos da Saúde, que custou R$ 6 milhões aos cofres, foi deferido pela `número três do Governo do Amazonas`, passando por cima de indicações de pendências feitas pelo até então titular da pasta. O fato foi o estopim para a saída de Tobias, no dia 08 de abril, e o anúncio de Simone Papaiz para o cargo.  

Para o deputado estadual Wilker Barreto (Podemos), a revelação do ex-titular da Susam é grave e comprova a força de Carla Pollake, que apesar de não aparecer entre os cargos do Estado, figura como autoridade de aprovar um projeto milionário. Na época, em live no canal oficial do governo, a secretária Papaiz chegou a afirmar que o projeto era “a menina dos olhos do governador”, lembrou o líder da minoria.  

“Muito grave a denúncia porque o ex-secretário afirma que essa Carla Pollake, que é a terceira na hierarquia do governo, mesmo não ocupando nenhum cargo, ligou para o secretário para pedir aprovação de um projeto de R$ 6 milhões, isso é muito grave”, disse Barreto, que é membro da comissão.

Em oitiva, o ex-secretário explicou que o Anjos da Saúde não foi um projeto desenvolvido pela Susam, mas sim pela Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (Aades), e executado pela Secretaria de Estado do Amazonas, mesmo com a vontade contrária de Tobias. O gestor contou, ainda, que por muitas vezes houve interferências na pasta sem anuência dele e que isso o constrangia.

FOTO ALEAM 5

“Muitas das ações que foram desenvolvidas dentro da secretaria nesse período foram feitas sem a minha anuência. A senhora Carla Pollake pediu que o projeto fosse deferido por mim, mas por conta de várias pendências no processo, eu neguei a fazer a assinatura. Ela fez uma ligação e aí eu assinei depois que meu jurídico verificou se todas as pendências estavam quitadas”, disse Tobias.

Amnésia

Durante o depoimento, Rodrigo Tobias alegou não lembrar e não saber de muita coisa, principalmente quando se falava da parte técnica e financeira das ações. Doutor em Saúde Pública pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), o dentista afirmou que recebeu o direcionamento para ocupar a Secretaria do vice-governador Carlos Almeida, assim como o ex-secretário executivo da Susam, o advogado João Paulo Marques. Desta forma, Rodrigo disse que confiava em sua equipe na análise dos documentos.  

 “É preocupante o depoente vir para cá com uma crise de amnésia, porque todo mundo sabe das informações, menos o secretário. Vou até propor a extinção do cargo de secretário, pois sempre é o que menos sabe das ações” relatou Wilker, ao apontar que o ex-secretário diz não ter conhecimento sobre a nomenclatura dos IDs de tipos de respiradores e ventiladores, assim como do processo do projeto básico da Nilton Lins.