Quarta, 15 Maio 2019 22:37

DEPOIS E MUITA LUTA, FTI É LIBERADO

Avalie este item
(0 votos)

Recursos do FTI para a saúde no interior começam a ser pagos, diz Dra. Mayara

Depois de muita discussão e entendimento entre os poderes Executivo e Legislativo, R$ 17, 5 milhões, do Fundo de Fomento, Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas (FTI), destinados aos 61 municípios do interior, vão ser pagos nesta quarta (15). A informação foi divulgada, durante Sessão Plenária, pela presidente da Comissão de Saúde e Previdência da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputada Dra. Mayara Pinheiro Reis (PP).

De acordo com a parlamentar, essa foi uma luta desde o início do mandato, mas resultado de uma construção conjunta da Aleam, Associação Amazonense dos Municípios (AAM) e Governo do Estado, por intermédio da Secretaria Estadual de Saúde (Susam). Foram quatro reuniões entre todas as partes para se chegar a um consenso, o qual beneficiasse toda a população.

“O remanejamento da saúde sempre existiu nos governos anteriores, mas nunca com esse olhar para o interior do nosso Amazonas. Esse recurso vem para ajudar nos pagamentos das terceirizadas e também na compra de material permanente. Esse é apenas o primeiro passo de muitos que temos de percorrer, para melhorar a saúde do Estado com problemas há pelo menos 30 anos”, afirmou a deputada.

O discurso de Mayara Pinheiro chamou a atenção dos demais parlamentares presentes na Casa, como os deputados Belarmino Lins (PP), Serafim Corrêa (PSB), Dr. Gomes (PSC) e Carlinhos Bessa (PV). Eles enalteceram a luta da deputada por investimentos na saúde e o comprometimento com todo o Amazonas.

É importante ressaltar que na Mensagem Governamental aprovada em fevereiro na Casa, consta no remanejamento do FTI o valor total de R$ 350 milhões, sendo R$ 280 milhões para a capital e R$ 70 milhões o interior. “Hoje foi depositada a primeira parte aos Fundos Municipais de Saúde, o restante do repasse será feito de acordo com o orçamento do Governo. Agora, precisamos estender essa discussão para conseguir mais recursos e seguir investindo na saúde, com ações e projetos”, concluiu Dra. Mayara.