REDAÇÃO AgênciaNorte

www.agnorte.com.br

Por Marlen Lima

 “Vá pra casa do Romero Jucá, seu filho da puta. Pode tirar esse daqui, esse daqui é do Romero Jucá. É do Romero Jucá, tira ele. Prende ele aí”, diz alto e bom tom, Ciro Gomes, contumaz agressor, político de pavio curto, que acha que pode agredir física e verbalmente a todos, quando ele não se agrada de perguntas e situações.

E foi assim, deste jeito - “Vá pra casa do Romero Jucá, seu filho da puta...", que reagiu Ciro Gomes quando passou por Boa Vista (RR), neste fim de semana, em caminhada pelas ruas do Centro da cidade, ao parar com a imprensa, o candidato a presidente da República pelo PDT não gostou da pergunta que foi feita pelo jornalista Luiz Petri, do programa 'Saldo Positivo', da Rede Tropical, (repetidora do SBT). 

O jornalista apenas quis saber se ele manteria a mesma posição quando em agosto passado, em Pacaraima, Norte de Roraima, um episódio em que um empresário foi espancado por ladrões venezuelanos, e diante disto a população brasileira indignada resolveu expulsar os demais venezuelanos que ali estavam na cidade fronteiriça, disto Ciro repercutiu o fato como um ato vergonhoso praticado pelos roraimenses, citando - “desumanidade, grosseria e canalhice”, em entrevista coletiva, onde Ciro também afirmou que “pela primeira vez na vida, senti vergonha de ser brasileiro”.

Petri queria justamente saber se Ciro agora ali diante do povo de Roraima se manteria tal afirmação? - Ciro, o senhor reafirma o que disse sobre os brasileiros que tiveram aquela manifestação da fronteira, que chamou os brasileiros de canalhas, desumanos e grosseiros?

Uma pessoa centrada, correta, digna, apenas responderia civilizadamente, porém, Ciro agiu como de costume, se achando intocável, estando acima da lei, e vai agredindo fisicamente e verbalmente a todos que ele acha serem impostores, acirradores, e oposicionistas da sua eloquência...Como se homem equilibrado fosse, e merecesse respeito pelo que fala e faz.

Luiz Petri em entrevista ao AgNorte informa  que vai acionar a justiça, vai processar Ciro Gomes. E este será só mais um processo nesta baila que Ciro responderá, mais um em que ele será réu por agressão, pois contra o repórter ele deu um soco e o chamou de 'filho da puta', ofendendo a mãe do jornalista, e ainda se deu ao piti de mandar que sua equipe de segurança prendesse Petri. 

O jornalista disse que ao contrário de Ciro, dois seguranças do candidato o afastaram da coletiva, levando para o outro lado da rua, de forma tranquila, e ele absorto com tudo o que havia acontecido, sem ação, acabou não reagindo às agressões de Ciro.

DESFARÇATEZ

Neste domingo, 16, à imprensa nacional, o candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes falou sobre a agressão ao jornalista Luiz Pertri de Roraima, que foi formado pela Faculdade Atual, e há 20 anos atua no mercado roraimense, tendo programa televisivo, e jamais havia se envolveu em algum episódio como o da agressão de Ciro.

Disse Ciro: “Apareceram lá uns provocadores, mas acho que se deram muito mal”, disse Ciro em resposta ao papelão que ele fez, mais um ato seu violento, só que agora à imprensa.

PRECONCEITO DA IMPRENSA

E, aí, o que assusta ver é que revista Veja, sites como Uol, Congresso em Foco, por exemplo, não repercutem o que de fato ocorreu, quando a imprensa, em si, foi agredida, não apenas um cidadão, o que só por isto também é algo sério. Um jornalista foi atacado, agora será que a aimprensa do Norte é menos quea imprensa do resto do país??

E aqui fica mais uma pergunta - Será que vai ser assim agora, repórter não poderá fazer mais nenhuma pergunta que o político não gostando possa agredi-lo, socá-lo diante de todos, e isto ficará assim, impune?!

Acredito que o Sindicato dos Jornalistas Profissionais e Roraima - Sinjoper, deva analisar os fatos para dar uma posição sobre mais este caso de agressão a um jornalista. Este ano, o presidente da Assembleia Legislativa de Roraima, deputado Jalser Renier mandou que um jornalista, o blogueiro Luiz Valério fosse retirado do Plenário da Casa, porque o repórter tem feito material, assim como o AgNorte, em posição criticar a postura nada republicana e ética da presidência do poder legislativo.

Assim, vejo com muita preocupação e creio que a Fenaj - Federação Nacional dos Jornalistas - deva adotar maior postura de cobrança de segurança aos jornalistas - homens e mulheres que estão nas ruas para fazer o seu trabalho de bem informar.

Ciro em nenhum momento poderia, deveria ter agido como o fez, dando um soco numa pessoa que lhe fez uma pergunta democrática, sobre fatos que ele mesmo criou. Piora o caso, aqui, quando esta pessoa, este cidadão - Luiz Petri é um jornalista registrado, DRT 330/RR no Ministério do Trabalho. Trabalha numa Produtora, própria, tem o seu progama e não tem nenhum cargo comissionado em nenhum governo público, ou seja, não tem bandeira política alguma, apenas exercia sua profissão.

Até agora parte da imprensa nacional, e até local, se mantenha numa postura onde defender o indefensável parece mais honesto.

Dito isto, creio que a termos uma imprensa assim, seja ela de cunho nacional ou regional, que de forma tão torpe toma partido contra si mesma, onde agredir um repórter, um cidadão, pouco importa que quem está realmente sendo agredida é a sociedade, mas...

...

Veja abaixo no link - a agressão de Ciro e a resposta do jornalista Petri - 

blob:https://web.whatsapp.com/0a5bbcb9-20fe-44a5-9e69-4a25a7749e46

Página 1 de 113

ban zona 

ban gov am

 

agnorte logo02

© 2015 Agência Norte Online. All Rights Reserved. Designed By HM